28 de jan de 2013

The Only Exception capitulo 15 - Favorite Girl



 http://data.whicdn.com/images/4634387/tumblr_layzzq1ald1qc5omgo1_500_large.jpg

 "Todo mundo sonha em viver um grande amor, eu só sonhei mais forte."

- é que...- comecei a falar mais Melinda me interrompeu.
- OH MEU DEUS VOCÊS ESTÃO NAMORANDO? – ela gritou.
- para de gritar maluca. – falou emma.
- me desculpa me empolguei. – ela riu ajeitado o óculos, uma mania.
- mas então vai falar o que está rolando entre você e o Austin?
- e diga-nos o que há entre você e Austin. – falou uma voz num tom nada bom.
Me virei e dei de cara com...minha tia ela estava com as mão sobre a cintura e parecia um pouco nervosa.
- bom diga-me o que tem entre você e Austin?
- é que...- eu comecei a falar, mas logo fui interrompida por uma gritaria no andar de baixo.
Nós corremos ate lá e encontramos um Robert um poço bravo sendo assegurado por Alex, e um Austin no chão com a mão sobre a boca, eu corri ate o mesmo e disse.
 – você está bem?
- estou sim. – ele falou dando um sorriso fraco.
- alguém pode me explicar o que está acontecendo? – falou minha tia olhando para Robert e Austin, os mesmos ficaram calados. Então ela olhou Alex que no mesmo instante disse.
- eles brigaram. – falou sendo obvio.
- isso deu pra ver né idiota, mas queremos saber o motivo. – falou emma.
- Austin contou que tinha beijando annalu, e do nada Robert ficou bravo. – ele disse olhando minha tia.
- por que fez isso meu filho. – perguntou ela o fitando.
- por que Austin sabe muito bem que não vai ficar aqui por muito tempo e fica a iludindo.
- não estou a iludindo, eu gosto muito dela. – Austin se defendeu.
- para de mentir Austin, fala pra ela da ligação que recebeu. Não minta pra ela idiota. – falou Robert um pouco alterado.
- do que ele está falando Austin? – eu perguntei o fitando.
- Linda precisamos conversar, podemos? – ele falou me olhando nos olhos.
- claro. – falei e então subimos as escadas e fomos ate o meu quarto.

Já dentro do mesmo eu sentei em minha cama e Austin fez o mesmo e eu logo disse.
- então o que temos que conversar?
- bom, eu recebi uma ligação ontem, uma proposta irrecusável, meu sonho é ser cantor, e despedisar uma chance dessas é burrice, eu iria aceitar, mas ai você entrou em minha vida, e bom não se quero me mudar daqui.
- bom e para onde você iria?
- Miami – Florida.
- um pouco longe. – falei sem fitá-lo
- eu sei, mas não se preocupe eu não vou.
- para de bobagem Austin, você não vai perder essa oportunidade por minha causa, afinal nem temos nada ainda.
- claro que temos, eu te amo. – ele falou levantando meu rosto, tocando delicadamente o mesmo, e logo colando sua testa a minha. Ele pos a sua mão livre em volta de minha cintura e me puxou pra ele, fazendo com que eu sentasse em seu colo, no segundo seguinte beijando meus lábios, um beijo calmo e apaixonado.
Mesmo eu amando Austin eu não iria deixá-lo cometer essa burrada é o futuro dele que esta em jogo eu iria me sentir extremamente culpada de não deixá-lo realizar esse sonho, parei com o beijo e já fui levantando e fitando-o logo falei ao mesmo.
- Espera Austin, pensa bem é o teu futuro que está em jogo e eu não vou atrapalhar, quero que você seja feliz – falei olhando para o mesmo que me olhava com uma expressão assustada.
Austin – Ei pequena você não está entendendo, você é que me faz feliz, eu te encontrei e eu não vou te deixar nunca mais – ele falou e seguiu em direção a mim acariciando meu rosto e logo eu fechei os olhos, senti-lo era uma sensação ótima, mas eu não podia perder o foco.
Annalu – Austin para - disse me afastando – não vou deixar você estragar sua vida, o seu futuro, desistir dos seus sonhos por minha causa.
Austin – você foi a melhor coisa que já me aconteceu, não vai estragar minha vida, eu não vou ficar longe de você, nada mais importa -ao dizer isso me puxou novamente pela cintura e me beijando, um beijo calmo.
Descemos e Austin foi pra casa, eu não parava de pensar no Austin, sabia que não podia deixar isso acontecer, não podia deixar Austin desistir dos seus sonhos... E com esses pensamentos acabei adormecendo.
~ no dia seguinte~

~ ligação on~

Austin – bom dia meu amor
Annalu – bom dia Austin – disse com voz de sono {é, ele havia me acordado}
Austin – vamos da um passeio?
Annalu – quando?
Austin – agora.
Annalu – agora???? Mais são 09h00min da manhã
 Austin – eu sei, tem algum problema? Quero te mostrar uma coisa
Annalu - ok

~ligação off ~

Encontrei Austin na frente de casa e fomos para uma pracinha ali perto
Annalu – então, o que quer me mostrar?
Austin – você vai ver – diz me guiando pelo braço até um banco e senta no outro onde tinha um violão perto, ele o pega e começa a cantar:
Enquanto ouvia Austin cantar percebia o quão talentoso ele era e tinha cada vez mais certeza que não podia o deixar perder a oportunidade de sua vida, Austin cantava com a alma, os seus olhinhos brilhavam.

Às vezes eu podia vê-lo fechar os olhos e sentir a canção, eu me senti culpada em empedi-lo a fazer aquilo era o sonho dele.
Era errado eu fazer isso.

- Você é minha preciosa garotinha
A única que me deixa louco
De todas as garotas que eu conheci
É você, é você
Minha favorita, minha favorita
Minha favorita, minha garota favorita
Minha garota favorita

Ele cantava a ultima parte da musica olhando em meus olhos, eu sorri e às vezes olhava pra meus dedos, a timidez era muita.
Quando ele terminou a mesma ele pos seu violão de lado e me puxou mais próxima a ele e disse olhando profundamente em meus olhos.
-You're my special little lady, I love you.

Eu sorri com aquilo e me aproximei mais dele o selando, longo transformando em um beijo calmo e apaixonado.

Nos partimos o beijo depois de alguns minutos pela falta de ar, eu apenas conseguia sorrir eu tinha o garoto mais perfeito em minha frente e ele acabara de cantar uma musica para mim, dizendo que eu era a sua garota, a sua garota favorita, eu estava feliz e extremamente apaixonada por Austin Mahone.

Continua>>

Gatinhas desculpa a demora alguns problemas com o capitulo mas ainda bem que cosnegui escreve, está ai espero que gostem.

Meta cumpridaaaaaaaaaa.
Uhu consegui compriar a meta de 20 seguidores obg a Veronica por se tornado a 20º seguidora do blog. E obg por todas as linda, maravilhosas e divas que seguem o blog amo vocês ♥.

Tenho um pedido queria perdi para vocês curtirem minha pagina no face do Austin.


Qualquer duvida me ache no Ask 

 

22 de jan de 2013

The Only Excepiton capitulo 14 - Você é um mal educado.



 Foto: Love you all!!(;
  
"Os amores desgraçados costumam render belas histórias."

Austin On
Enquanto admirávamos o por do sol com uma de minhas mãos eu acariciava seus cabelos e a outra estava entrelaçada com seus delicados dedos, aquele momento estava sendo único eu sentia que ela era a pessoa certa para mim, a garota que eu tanto desejava e esperava para passar a minha vida inteira ao seu lado, isso parece soar meio gay, mas é um sentimento que eu nunca senti antes por garota alguma, fui tirado de meus pensamentos pela sua delicada e gentil voz.
Annalu – Ei você esta tão quieto, aconteceu alguma coisa? - Ela perguntou virando-se de lado e me fitando.
- Não, eu só estava pensando – falei olhando em seus penetrantes olhos verdes.
Annalu – Hum, pensando? Posso saber no que?
- Claro, estava pensando, em nós aqui, agora, não parece real – eu falei olhando para o horizonte.
Annalu – Ei claro que é real, eu estou aqui, você esta aqui, e nós estamos juntos agora pra sempre – Ela falou se virando para mim e ali ficou me analisando, confesso que fiquei meio envergonhado, cara ela conseguia me deixar sem jeito.
 - Me prova que é real – falei a desafiando e esperando pelo que vinha pela frente.
Annalu – claro – ela apenas disse isso e seguiu em direção aos meus lábios e os selou com um beijo calmo que foi se tornando cada vez mais intenso ela passava suas mãos em meu abdômen e a cada movimento que ela fazia era como se uma corrente elétrica passasse pelo meu corpo eu a desejava tanto, mas logo minha alegria acabou quando ela se separou pela falta de ar, mas sinceramente eu ficava ali a beijando pelo restou da minha vida (ó as ideia).
Annalu – Acredita agora? – ela me fitava.
 - então eu não sei será que você poderia fazer de novo só para eu ter certeza – Perguntei para ela em tom de deboche, mas eu estava falando serio.
Annalu – Ei seu bobo – Ela falou se levantando e estendendo a mão para eu levantar – vamos que já esta tarde e se eu demorar mais um pouquinho minha tia coloca o FBI atrás de mim.
- nossa que exagerada, você esta comigo então não tem problema – eu disse olhando para a mesma que começou a dar risada de mim.
Annalu – ata, ok senhor eu sou especial venha logo – Ela disse entrelaçando nossos dedos e então seguimos em direção a sua casa.

Robert On
Bom depois da louca da Emma me fazer pagar um sorvete para ela, decidimos ir embora
- Então vocês não querem passar lá em casa um pouco? - Perguntei pois apesar de annalu estar lá, ela era uma garota né.
Alex – Já é.
Melinda – Ah eu não sei já está tarde, e andar sozinha por ai não é muito bom – meninas eu pensei grande coisa andar sozinha por ai.
Emma – Amiga vamos, aproveitamos e já vemos como a Annalu está – Poisé nem me lembrava que a annalu não estava bem.
Alex – Relaxa Melinda eu te deixo em casa, pode fica tranquila ta bom? - Foi isso mesmo que eu ouvi o Alex vai levar a melinda para casa? Cara não estou mais entendendo nada – Ok esta tudo resolvido então vamos logo falei seguindo para a calçada.
Melinda – Ah eu não quero atrapalhar – Melinda disse meio envergonhada
 – Garota será que você não entendeu que ele vai te levar para casa então fica quieta e vamos logo – cara garotas são irritantes.
Emma – Será que você pode calar essa sua boca imunda? Por que você só sabe abri-la para falar merda né – Cara será que eu ouvi isso mesmo, eu ainda não intendo a Emma esta sempre me tratando mal, por mais que às vezes eu seja um idiota isso às vezes me machuca (meio gay, mas ta valendo) tento ser uma pessoa legal, mas nunca da certo com ela.
 - Ok, me desculpe não queria ser tão grosso assim – só consegui falar isso e segui para casa deixando eles para traz.

Emma On
-Garota será que você não entendeu que ele vai te levar para casa então fica quieta e vamos logo – quando eu ouvi isso eu não me segurei e falei.
 – Será que você pode calar essa sua boca imunda? Por que você só sabe abri-la para falar merda né? - Falei olhando em direção ao Robert que mantinha sua fisionomia triste.
Robert - Ok, me desculpe não queria ser tão grosso assim – ele falou se dirigindo a Melinda e a mim não sei se era impressão minha mais puder ver seus olhos começarem a encher de lagrimas, mas logo o mesmo saio tão rápido do local e nos deixou sozinhos lá.
Alex – É pego pesado agora – ele me disse arqueando suas sobrancelhas.
Melinda – É verdade amiga não precisava de tudo isso, você sabe como ele é, é o jeito dele assim não adianta – estava me sentindo extremamente culpada
– Eu sei é que eu não suporto esse jeito mandão dele, mas nem se esquentem eu vou falar com ele, agora vamos então.
Enquanto nos dirigíamos até a casa de Robert eu ia pensando no que falar a ele, enquanto isso Alex e Melinda iam na minha frente conversando animadamente, chegamos na casa e fomos em direção a sala ver se Annalu estava bem mas a cena que nos deparamos dava para perceber que ela estava ótima pois é ela estava deitada no sofá com sua cabeça no colo de Austin e o mesma acariciava seu rosto e dava-lhe selinhos, eram tão fofos.
Alex – woow desculpa atrapalhar os pombinhos – Ele disse num tom de deboche
Quando Alex falou aquilo Austin olhou para nós assustado assim como annalu, a mesma levantou do colo de Austin e ficou parada olhando para seus pés.
Ela estava com vergonha que fofa.

Annalu on

Quando ouvi a voz de Alex fiquei nervosa, e envergonhada, logo me levantei do colo de Austin o deixando um pouco confuso, vi que todos estavam ali, Alex, Melinda, Emma e Robert, eles nos olhavam confusos, certamente queriam saber o que estava acontecendo.
- então... – falou Robert como se procurasse resposta.
- bom...- falei sem ao menos pensar no que pretendia dizer, mas logo fui interrompida por emma.
- annalu me mostra onde fica o banheiro. – ele falou já se dirigindo as escadas
- claro.
- vem Melinda. – emma falou puxando a mesma.
Nós subimos as escadas e emma falou.
- conta tudo.
- contar o que? – falei sem entender.
- para de se fazer de desatendida, o que foi aquilo que eu vi lá em baixo, você realmente estava deitada no colo do Austin?
- é que...- comecei a falar mais Melinda me interrompeu.
- OH MEU DEUS VOCÊS ESTÃO NAMORANDO? – ela gritou.
- para de gritar maluca. – falou emma.
- me desculpa me empolguei. – ela riu ajeitado o óculos, uma mania.
- mas então vai falar o que está rolando entre você e o Austin?
- e diga-nos o que há entre você e Austin. – falou uma voz num tom nada bom.
Me virei e dei de cara com....

Continua...

OMAUSTIN quem será??

Comentem.

 

19 de jan de 2013

The Only Exeption capitulo 13 - Um passeio e mais amores.



 
 "Planeje ser pego de surpresa!"

Em quanto isso no Shopping...

Emma On
- você podia tentar comer de boca fechado, seu mal educado – falei ao idiota do Robert que insistia em comer de boca aberta, algo extremamente nojento.
- eu como do jeito que me agrada. – ele falou mastigando com mais vontade o continha em sua boca, eu o olhei com desprezo e me virei para Melinda. Logo notei que a mesma dava tímidas olhadas a Alex, o mesmo nem percebia, legal, com tudo isso eu havia esquecido da queda, não do abismo que Melinda tinha por Alex.
Eu a chamei e logo sussurrei a mesma.
- Ficar o fitando não fará ele te notar, fale com ele.
- está maluca, eu tenho vergonha. – ele falou ajeitando óculos.
- para de bobagem, vai fala alguma coisa.
- não, não, nem pensar.-
-tudo bem. – falei sorrindo a mesma, mas já com um dos meus planos na cabeça.
- então seu ogro quer me pagar um sorvete? – falei fitando Robert, ele me olhou confuso e logo disse.
- por que faria isso?
- bom por que eu quero que vocÊ faça isso. – falei praticamente o arrastando da mesa, eu não queria um sorvete, eu queria que Alex e Melinda ficassem sozinho, sim sou uma ótima amiga.

Melinda On
Estávamos no shopping e Alex também estava lá eu não conseguia parar de fita-lo era como se algo me prendesse a ele eu me sentia tão bem quando ele estava por perto mesmo que nós não conversássemos muito, mas só o fato de estar por perto eu me sentia viva, fui tirada de meus pensamentos pela voz de Emma.
Emma - Ficar o fitando não fará ele te notar, fale com ele - Ela falou calmamente.
- está maluca, eu tenho vergonha – falei arrumando os óculos, ela só podia estar delirando, a mesma continuava insistindo e obvio que eu me negava a falar alguma coisa.
-tudo bem- quando ela disse isso eu já imaginava que alguma coisa se passava por aquela cabecinha diabólica, e eu estava certa ela saiu e fez Robert ir com ela com a desculpa de pagar um sorvete, mas que droga e aqui estamos nós como eu sempre sonhei quer dizer não foi bem assim, pois estamos cada qual com uma cara de retardado sem nos olharmos na cara um do outro, o que custa ele falar comigo num instinto eu quebrei o silencio.
 - Você vem sempre aqui?  - Véi eu não acredito que eu perguntei isso era melhor ter continuado que nem uma retardada, ai como eu sou idiota é isso que ele vai pensar de mim fui interrompida dos meus pensamentos por aquela magnifica voz que só de ouvi-la me fazia arrepiar-me.
Alex – Ah não muito, só quando o Robert inventa de comer é que tipo ele faz uma misturança de comida que da nojo só de ver, e ele diz que só tem aqui, ele é bem estranho mas é gente boa – Ele falava isso e fazia varias fisionomias que eu tentava identificar algumas impossíveis quando ele terminou não sabia o que responder.
- Hum – fala alguma coisa sua anta aproveita seu jegue, não saia nada.
Alex – e você vem sempre aqui? - Ele me perguntou tentando ser simpático eu acho.
 - Ah nem sempre eu não gosto de sair muito se é que me entende?- Pois é eu estava sendo sincera, pois eu não era muito de sair.
Alex – me diz uma coisa, por que você é tão na sua, sempre quieta, sei lá por quê? - Ele perguntou arqueando uma das sobrancelhas.
- então pra falar a verdade eu não sei tipo eu sou na minha, tímida, um grande defeito, as pessoas as vezes acham que é charminho e tal elas não intendem o que se passa pela cabeça da gente e nos julgam- falei olhando diretamente em seus olhos eu não sei ao certo por que estava contando sobre mim coisas que nem mesmo a Emma sabe.

Alex On

Bom, Emma e Alex foram comprar sorvete e eu e Melinda estávamos sentados em um silencio profundo, ninguém abria a boca para dizer nada eu devia falar alguma coisa, mas não saia nada até que ela quebrou o silencio que existia entre nós.
 Melinda - Você vem sempre aqui?- No inicio achei estranha à pergunta, mas respondi.
 - Ah não muito, só quando o Robert inventa de comer é que tipo ele faz uma misturança de comida que da nojo só de ver e ele diz que só tem aqui, ele é bem estranho mas é gente boa- falei fazendo algumas caretas espero não assusta-la haha’- novamente um silencio tomou conta eu preciso falar agora vai Alex.
Foi então que fiz exatamente a mesma pergunta a ela, que idiota, mas ela respondeu.
Melinda - Ah nem sempre eu não gosto de sair muito se é que me entende?
Ela falou me fitando, eu percebi que ela estava sendo sincera por que nas festas que há nem sempre a vejo meio estranho, pois ela é uma adolescente muito linda fiquei mais curioso sobre Melinda e tomei a liberdade de fazer mais perguntas.
– me diz uma coisa, por que você é tão na sua, sempre quieta, sei lá por quê?
Perguntei arqueando uma das sobrancelhas.
Melinda - então pra falar a verdade eu não sei tipo eu sou na minha, tímida, um grande defeito, as pessoas as vezes acham que é charminho e tal elas não intendem o que se passa pela cabeça da gente e nos julgam- ela falou olhando diretamente em meu olhos o que me fez perceber que ela estava se sentindo segura em desabafar comigo.
- Entendo, deve ser algo muito chato – eu não sabia o que falar então ela me interrompeu.
Melinda - Nossa me desculpe por estar enchendo seus ouvidos com minhas besteiras, é que eu nunca converso sobre essas coisas com ninguém – ela disse isso e um sorrisinho brotou no canto de minha boca, pelo fato de saber que ela confia em mim.
-Melinda saiba que eu vou estar aqui sempre que você precisar desabafar, mesmo que nós não tenhamos muito contato você é uma garota especial e sinto que preciso de você por perto – quando terminei me dei conta do que havia dito, isso soou muito gay ¬¬.
Melinda – Nossa Alex fico feliz de saber que posso contar com você – Nesse instante ela pegou minha mão e ficou acariciando-a pude notar sua pele ficar corada eu não sei por que não desviei apenas deixei que a mesma continuasse, mas logo os dois malucos estavam voltando então ela se afastou depressa.
 Emma - E então vamos logo por que eu não aguento mais essa mala ai – ela falou apontando para o Robert todos assentiram e seguimos para casa.

Continua>>>

Desculpa a demora suas linda. I'm sorry. Mas como sabem estive mal por uns dias, mas bem agora estou de volta. Uhu

Espero que tenham gostado do capitulo. Comentem *-*


16 de jan de 2013

Desculpas



Oii, bom aqui é uma amiga da Nana, a Duda, e eu vim aqui dizer o seguinte: a Nana ta doente e ela não pode postar nesse estado, eu peço pra voces que rezem pra que ela melhore logo e volte aqui pra postar mais pra voces!!! bom é isso :))
Bisous no core <3
Estamos com voce Nana!!!

2 de jan de 2013

The Only Exception capitulo 12 - Eu te amo...



"Quando entrou no meu mundo foi o momento da minha vida."


Ele não tinha falado que aquele garotinho era ele né? Eu estava escutando para mais, não podia ser verdade ou podia?
Annalu – não pode ser...você é mesmo esse garoto?
Austin – sim sou. Não acredito que é você, deve ser por isso que...-ele pega a foto da minha mão e para de falar se sentando ao meu lado.
Annalu – que...???
Austin me olha parecendo pensativo e diz: nada...hã...Annalu nós precisamos conversar.
Annalu – sobre?-eu já imaginava qual seria o assunto mais preferi fingir de desentendida
Austin – sobre...o que aconteceu hoje cedo. Annalu me desculpa, eu sei que te peguei de surpresa mais não consegui me conter...eu...-se levantando da cama e ficando de costas pra mim.
Annalu – você...?- também me levantando
Austin – o que acontece é que...-se virando pra mim – eutogostandomuitodevocê
Annalu- hã? – ele falou tão rápido que não intendi.
Austin – respirando fundo,ele parecia muito nervoso- EU GOSTO DE VOCÊ! NÃO,EU TE AMO ANNALU!!
~ OMG! Eu devo estar sonhando...eu não acredito que ele disse isso, não, eu devo estar louca. ~

Austin on
Quando eu disse pra Annalu como me sinto ela pensa um pouco e sai correndo do quarto sem dizer nada, será que eu disse algo errado? Ou ela está assustada de mais?
Eu então vou atrás da mesma que corria e chorava desesperadamente, eu não estava intendendo nada. Eu intendo que ela deve estar surpresa, assustada, mas...porque ela está agindo assim? Será que ela não gosta de mim? Eu não pensei duas vezes e assim que consegui aucança-la segurei o braço dela, fazendo-a virar e pergunto imediatamente:
- O que houve? Eu te assustei né? Me desculpa Annalu, não podia mais esconder...depois daquele beijo eu...-fui surpreendido, ela me abraçou forte, no começo eu fiquei surpreso mais depois sorri acariciando o cabelo da mesma que estava encostada em meu peito.

Annalu on
Eu sinceramente não sei o que me deu...quando Austin se declarou pra mim, mil coisas vieram em minha mente,tantas que me deixava confusa, quando me vejo, me pego correndo pra fora da casa, Austin gritava meu nome também confuso e eu me perguntava: ~ sua boba! O que você ta fazendo??????? Essa é a hora de você dizer a ele tudo que sente! Porque está correndo sua idiota! ~
Fui tirada dos meus pensamentos quando sinto um toque no meu braço, era Austin, ele parecia aflito, também não é pra menos né? Ele me vira fazendo-me olhar pra ele e imediatamente me perguntando:
- O que houve? Eu te assustei né? Desculpa-me Annalu, não podia mais esconder...Depois daquele beijo eu...- antes de ele conseguir terminar a frase eu o abracei forte, o mais forte que consegui, ele pareceu surpreso mais alguns segundos depois pude sentir suas mãos delicadas sobre o meu cabelo, era tão bom tê-lo ali, tão perto, sentindo seus batimentos nervosos, com toda certeza eu o amo, o amo muito e quero sempre está assim, bem perto dele.
- eu também te amo – pronunciei afundando ainda mais meu rosto no peito dele.
Aquela foi a sensação mais estranha e mais maravilhosa de toda minha vida. Eu estava nos braços dele e podia sentir uma felicidade imensa me consumir, era como se tudo ao nosso redor fosse transformando em meras coisas sem importância, que importava mesmo era a companhia de Austin. Se ele continuasse me abraçando tudo ficaria bem, eu ficaria bem.
- Venha quero te levar a um lugar. – falou Austin entrelaçando nossas mãos.
Caminhamos ate uma rua onde havia casas em construção, um novo condomínio estava sendo feito, bom era o que a placa indicava, nós entramos por uma abertura na cerca e andamos entre as casas ainda em faze de construção, ate chegarmos a uma casa nos fim da rua principal, um casa enorme, já construída, mas sem pintura, eu fiquei admirando a mesma por alguns segundos ate Austin falar.
- essa casa será do prefeito, linda não acha?
- será uma casa majestosa, mas o que estamos fazendo aqui? – perguntei o fitando confusa.
- quero te mostrar uma coisa. Venha. – ele falou me puxando para que eu o seguisse, assim o fiz, caminhamos ate a parte de trás da casa.
Quando chegamos lá pude ver um jardim com a grama bem verde como se aquilo fosse a imagem que temos de um paraíso, algumas arvores frutíferas a alguns metros da casa, mas não paramos ali continuamos caminhando entrando na pequena floresta que tinha mais ao fundo do terreno, andamos por alguns minutos ate Austin parar, olhar pra mim e falar.
-preparada?
Apenas assenti então ele me pos a sua frente e tampou meus olhos com suas mãos, e falou perto de meu ouvido.
- vá caminhando eu ficarei te guiando.
Eu sorri e nada falei apenas pus meu pé direito na frente seguido do esquerdo assim começando a caminhar para o lugar misterioso.

Logo senti meus olhos serem libertados para eu ter a visão de um lugar exuberante, nos estávamos no topo de um penhasco um pouco alto, uns 30 metros ou ate menos, dele podia se ver uma parte de San Antonio.
Eu sorri e logo disse.
- é lindo. – falei fitando cada canto da cidade que já se acendia por conta do anoitecer.
- é meu lugar preferido de San Antonio, aqui posso ficar sozinho e pensar. – ele falou sentando numa pedra perto do penhasco. E logo continuou a falar olhando a paisagem a frente.
- eu sempre pensei que algum dia traria uma pessoa especial aqui, e bom hoje eu trouxe, mas uma coisa que você não sabe. – ele olhou pra mim. – naquela festa de nove anos do Robert eu tive uma imensa vontade de trazer aquela menina aqui, e olha hoje ela está aqui. – ele sorriu.
Sorri tímida pelo que ele tinha falado abaixando minha cabeça logo em seguida. Senti Austin levantar e andar ate mim, ele pos uma de suas mãos em meu queixo levando-o, ele me fitou e logo encostou sua testa na minha e disse de olhos fechando.
- tive aquela imensa vontade por que aquela menina era especial, porque você é especial. – logo que falou isso ele juntou seus lábios aos meus, formando um beijo calmo e apaixonado. E aos poucos foi ficando intenso e urgente, ele pos uma de suas mãos em minha cintura puxando-me para si fazendo desaparecer o espaço ainda existente entre nós. Eu pus meus dedos entre seus fios de cabelo.
Austin apertou levemente minha cintura, com o ato me arrepiei, algo estava acontecendo dentro de mim, eu estava me sentindo viva, Austin notou minha euforia e aprofundou mais ainda nosso beijo, nossas línguas dançavam em uma harmonia incrível, como sem encaixassem, como sem fossemos feitos um para o outro.

Austin andou, fazendo-me andar para trás, assim me coquei com algo, uma arvore, ele clou seu corpo mais ao meu, se ainda era possível, e apertou mais uma vez minha cintura.
Logo pude sentir as mãos de Austin tocarem minha barriga por de baixo da blusa, ele pegou a mesma pela barra e começou a subi-la.
Naquele momento tive a noção do que iria acontecer, então lembrei que aquilo era cedo de mais para acontecer, então tirei a mão de Austin dali e parei o beijo me afastando dele,finquei ali parada de costas para ele, recuperando o meu fôlego. Ate sentir as mãos dele sobre meus ombros e a voz dele soar como musica para mim.
- sinto muito, sei que é cedo de mais, e aqui não é um lugar apropriado para fazermos isso, sinto muito por ser um idiota.
Eu virei-me para ele e falei.
- está tudo bem Austin, só me promete uma coisa?
- claro
- nunca me deixe, pois se isso um dia acontecer te juro que morrei.
- isso nunca acontecera, nunca, eu te amo, amo muito. Sempre com você.
- sempre?
- sempre. – ele falou e me abraçou.
Ficamos ali vendo o sol se pondo, ali curtindo o nosso momento.


Continua>>>

Oi gatinhas desculpa a demora fiquei escrevendo o capitulo com a ajuda da Vanessa, bom ela escreveu uma parte o que me ajudou muito a continuar. Obrigada a Vanessa, sempre me ajudado ♥

Respondendo comentários das lindas leitoras ♥

Anonimo¹ (Mary) - Aaaaaaaaaaaaaaaaah continuei sua linda *-*

Anonimo² - Continuei sua diva *-*

Stay Adas - perfeita é vc que comenta *-*. Continuei

Anonimo³ - Continuei, eu que to amando saber que vcs leem minha fic *-*

Imagine Directioner - Owww perfeita é tu ♥. Continuei

Giovanna Styles - OMG obrigada pelo carinho fofa. Feliz natal um pouco (muito) atrasado, e um feliz 2013 *-*

Béatrice Lambert - Continuei linda. OBS: seu nome é fabuloso *-*