23 de abr de 2013

Endlessly Capitulo - Little Mahone??



http://25.media.tumblr.com/tumblr_mdjoecKrJa1r1tjqso1_500.jpg


"...Eu não sou perfeito, mas eu juro
sou perfeito para você..."


1 semana depois da partida de Austin...

San Antonio, sexta-feira 11 de junho de 2013.

- Hey annalu venha comer, você precisa se alimentar pelo menos. – disse minha tia pela quarta vez naquele dia, a frente de minha porta, eu nada disse estava sem vontade ate mesmo de respirar, algo que vinha acontecendo desde que Austin se foi, momentos de angustia eram quase que a todo momento, eu me sentia só novamente, Emma e Melinda ate tentavam me animar, mas nada me tirava da cabeça que Austin tinha ido embora de San Antonio.

1 mês depois da partida de Austin...

11 de junho de 2013

A dor é cada vez mais insuportável, antes era comum ele me ligar a noite, agora nem isso tem acontecido, às vezes sinto que ele esqueceu, ainda recebo raras e escassas ligações que não são de longa duração, no máximo de 3 minutos ou as vezes menos, muitas das vezes ele tem que desligar por causa de alguma entrevista em alguma radio do país, mas antes de desligar sempre repete a mesma frase.

“sinto falta do seu beijo, eu te amo eternamente”

Às vezes ele nem chegava a completar a frase ela voava vaga através do ar apenas apresentando “sinto falta”, eu sempre imagino que ele esteja apressado de mais por isso não completa as falas, me sinto mal, mas imagino ele feliz, e penso em seu sorriso lindo e me sinto bem é como se tudo ficasse bem se ele estivesse bem.

3 meses se passaram desde a partida de Austin..

13 de setembro de 2013.

As férias de verão havia passado como um furacão, rápido e destruidor, a cada dia longe de Austin eu me sentia mais destruída.

Hoje era o inicio do ano letivo, era um típico dia quente em San Antonio, todos os jovens estavam voltando aos seus respectivos colégios, revendo seus amigos, e vivendo suas vidas alegres, e eu continuava com minha vida pacata a única diferença era que eu não tinha ele ao meu lado.

Eu levantei-me desanimada de minha cama e segui para o banheiro, parando na porta a espera de Robert que como de costume estava lá dentro.
Bati na porta com nítida presa e gritei.
- Vamos logo Rob.
- já vai Ann. – disse ele chamando-me pelo apelido ate que fofo que ele havia me dado.
Eu me afastei um pouco da porta e escorei-me na parede lateral, em dois minutos ouvi a porta do banheiro ser destrancada e Robert saiu, com o telefone em mãos e com um sorriso um pouco assustador no rosto, ele olhou-me e disse.
- pronto senhorita pode usá-lo. – ele sorriu e andou ate seu quarto.
Ele estava estranhamente feliz, e isso me assustava.

Entrei no banheiro e olhei-me no espelho, meu rosto estava horrível, parecia que eu havia chorado a noite toda, e bom de certa forma eu havia feito isso.
Meu cabelo estava amarado em um coque mal feito, que já não havia mais um coque estava mais para um meia cola baixa desarrumada.

Joguei um pouco de água no meu rosto e olhei novamente o reflexo no espelho, eu via uma garota um pouco bronzeada e com a face mais gorda do que a de 3 meses a trás, eu estava me sentindo mais gorda, então aquela insegurança de ficar gorda e ser zoada me afetou novamente era o que eu menos queria naquele momento.

Sai do banheiro espantando os pensamentos de que eu estava gorda da cabeça, entrei em meu quarto e fui logo a procura de uma roupa para ir ao colégio.
Peguei meu short preferido e o coloquei, mas algo deu errado na hora de fechá-lo os botões não se encaixavam nos lugares, eu desesperei-me, eu realmente não havia imaginados coisas, eu estava mais gorda.

- droga de dounts do Daniel’s. – gritei zangada atirando o short em cima da cama corri ate o closet e peguei uma roupa que escondessem as gordurinhas ate eu eliminá-las.

-está pronta Ann? – perguntou Rob batendo na minha porta.
- já estou indo. – disse arrumando o casaco, logo sai do quarto e desci as escadas encontrando tia Mandy e Rob sentados à mesa tomando café da manha.
- vamos Rob? – perguntei ao mesmo, ele abocanhou mais um pedaço de panqueca e logo levantou dizendo
- vamos.
- hei mocinha e o café da manha? – perguntou minha tia
- não estou com fome. – falei já andando para frente da casa, ela me seguiu mas eu praticamente corri para ela não alcançar-me , eu não queria comer, eu não podia.

[...]

- o que houve que esta ofegante? – perguntou Emma assim que cheguei ao colégio.
- eu corri da minha tia. – disse sentando-me em uma banco perto de nos e recuperando meu ar.
- e por quer estava correndo dela? - perguntou emma confusa.
- por que ela queria me obrigar a tomar café da manha. – disse olhando-a.
- e por que não quis tomar café mocinha? – disse ela colocando as duas mãos na cintura e me olhando feio.
- eu estou gorda. – falei calma.
- gorda você? Da onde tirou essa idéia Anna. – disse ela olhando como se disse “cala a boca”.
Eu revirei os olhos e disse a puxando.
- eu vou te mostrar.
A arrastei ate o banheiro feminino e logo que entramos fechei a porta e olhei-a e disse.
- olhe isso, eu estou gorda. – disse levantando minha camiseta, Emma olhou minha barriga e vi em seus olhos criarem sentimento de surpresa.
- Viu te disse que estava gorda, eu estou horrível, e não me olha desse jeito. – disse abaixando minha blusa.
Ela ficou ali parada por um tempo e depois perguntou-me.
- Annalu você e o Austin tiveram uma noite juntos, tipo você transaram? – perguntou ela na cara dura, a o olhei confusa, mas a respondi.
- sim.
- e há quanto tempo faz isso? – perguntou-me ela.
- na ultima noite dele em San Antonio dormimos juntos. – disse eu já estranhando as perguntas dela.
- isso dá 4 meses então? – perguntou-me ela
- isso. – disse a olhando, ela caminhou formando um meio circulo e logo parou próxima a mim.
- e sua menstruação, tem vindo corretamente? – perguntou ela.
- ela está um pouco atrasada disse receosa já imaginando do que ela falava.
- não passou pro sua cabeça que você poderia estar...grávida? – disse Emma fitando-me.
- Gr-avida... – disse olhando..

Não eu não poderia estar grávida eu nem havia terminado o colégio, drogaaaa...
   


Heey primeiro capitulo da 2ª temporada espero que tenham curtido.

Comentem se gostou.

Continuo com 5 comentatios 

Endlessly - 2ª temporada de The Only Exception


A lembrança do adeus não sai tão fácil de minha memória, foi doloroso, extremamente doloroso...Mas eu tentei superar, ainda dói, mas vivo a minha vida.
E o que dizer do que você deixou para mim? Foi difícil aceitar, mas hoje te agradeço pelo presente...Lembre-se e eu te amarei eternamente...


"...Eu não sou perfeito, mas eu juro
Sou perfeito para você.
E não há nenhuma garantia
Que isso vai ser fácil
Não é um milagre que você precisa
Acredite em mim
Sim, eu não sou nenhum anjo
Eu sou apenas eu
Mas eu vou te amar eternamente
Asas não são o que você precisa
Você precisa de mim..."
Nome da Fic: Endlessly 
Tradução: Eternamente
Classificação: +13
Genero: Romance, Drama
Personagens: Annalu, Austin, Jev, Robert, Emma, Enzo (principais)
Alex e Melinda (quadjuvantis) 

Avisos:
*Austin, Alex e Robert não me pertence ~ó vida cruel~, mas suas personalidades sim junto com os outros personagens.
* Fic de minha autoria plagio é crime então pratique sua criatividade e não roube a dos outros.
Essa é a 2ª temporada espero que gostem, que continuem me acopanhando.
Kissus loves :*



20 de abr de 2013

The Only Exception Capitulo 22 - GoodBye (Ultimo Capitulo)




 http://25.media.tumblr.com/tumblr_m4wwvcQvCG1rqti4oo1_1280.jpg

"A lembrança que eu quero esquecer
  é o adeus"


~Musica do capitulo (aqui) solte a musica quando eu pedir no capitulo~

Austin on

- hey pequena acorde. – disse eu a annalu que dormia sobre meu peito, ela tinha as costas um pouco descobertas, apenas de sua cintura para baixo estava tapada, ela estava nua, havia adormecido logo depois de fazermos amor.

Ela se mexeu levemente, e logo seus olhos piscaram, ela me encarou e sorriu, mas logo seu sorriso se desfez e ela disse.
- você iria partir hoje. – ela abaixou a cabeça e a escondeu em meu peito.
- hey não será para sempre eu prometo, eu nunca vou ficar longe de ti, eu a amo muito para deixar que isso aconteça.
- promete? – perguntou-me ela me fitando
- sim pequena. – disse a abracei.

[...]

- seu vôo é que horas? – disse ela enquanto colocava uma camisa minha, que a deixava mais linda ainda.
- 1:30 pm. – disse saindo do banheiro já de banho tomado colocando uma camisa, me sentei junto dela na cama e a fitei, ela sorriu e disse.
- então quer passar a manha desse lindo sábado comigo?
- seria um prazer. – disse eu sorrindo e a abracei de lado e logo sussurrei em seu ouvido.
- você fica sexy com minha camiseta. – disse e beijei seu pescoço.

Ela se arrepiou com meu toque, eu sorri com aquilo. Eu a deitei na cama gentilmente e logo subi sobre seu corpo, passei meu beijos para seu lábios, e minhas mãos se fincaram em suas coxas, descobertas por conta da camiseta ter levantado um pouco, ela suspirou durante o beijo, e logo nosso beijo foi desfeito, eu voltei minha atenção para seu pescoço, e ela entrelaçou suas mão em meus cabelo.

- o que acha de ficarmos pela minha casa e aproveitarmos bem essa manha? – perguntei a ela entre os intervalos dos selinhos que eu distribuía em seu pescoço. Ela nada disse apenas puxou meus fios de cabelo, considerei aquilo como um sim e puxei a barra da camisa que ela usava, estava já em sua barriga quando ouvi a porta ser aberta e a voz de minha mãe surgir.
- Austin você já...O que significa isso. – ela gritou a ultima parte.
Levantei-me depressa de cima de Annalu, já a mesma se cobriu com as cobertas da cama ainda bagunçada.
‘ferrou’ pensei olhando a cara nada boa de minha mãe.
- então digam o que isso significa? - perguntou minha mãe pela segunda vez.
- mãe não é nada disso que a senhora tá pensando. – disse eu
- é agora você lê pensamento Austin? – perguntou ironicamente.
- não é que..- eu dizia quando foi interrompido por ela.
- não tente explicar sei muito bem o que estavam fazendo, ou começando. – disse ela me olhando seria.
- mãe eu a amo. – foi única coisa que disse, minha mãe me olhou como se achasse besteira o que eu tinha acabado de falar, mas ela ficou longos segundos me observando e seu rosto mudou violentamente para surpreso e logo ela disse.
- o que acabou de dizer é verdade?
- achou que eu estivesse mentindo? – respondi a fitando serio.
- você é praticamente uma criança não sabe nada do amor. – disse ela
~solte a musica~
Eu o olhei incrédulo e puxei Annalu para perto de mim, abracei a mesma de lado e logo comecei a falar.
- só porque não tenho idade para ser considerado adulto não quer dizer que eu não possa amar, mãe eu te amo, eu amo a vovó, amo meus amigos e amo annalu, e você diz que não sei nada sobre o amor? – questionei-a.
- eu só...- ela falou deixando a frase vaga, ela nada mais disse apenas saiu do quarto pedindo desculpas como se acabasse de cometer um crime ao qual havia se arrependi muito.
- você não devia ter falado assim com ela Austin. – disse annalu se soltando de mim e seguindo ate a porta, logo ela cruzou pela mesma tentei chamá-la, mas a mesma fingiu não ouvir, eu não acreditava que ela ficaria de mal logo hoje, o dia que eu iria embora.


Annalu On

Percorri o corredor da casa de Austin em direção do quarto de Michele, Austin não devia ter dito aquilo, ela parecia ter ficado muito magoada.

Já a frente da porta do quarto dela, tive um pouco de medo de tocar-lhe, mas fiz, dei leves batidas na porta, que logo foram atendidas, Michele apareceu na porta, seu rosto estava molhado certamente estava chorando, eu aproximei dela e abracei não sei ao certo o por que mas senti que era isso que eu deveria fazer. Ela devolveu abraçando-me mais forte, e logo sussurrou.
- você é uma ótima garota Annalu. – eu sorri com aquilo e me desprendi do abraço e parei a sua frente, limpei as lagrimas que corriam em seu rosto e falei.
- obrigada Michele, mas você que é uma ótima mulher, um exemplo.
Ela sorriu e me abraçou novamente.
- Austin não queria te magoar quando disse aquilo. – falei a ela afagando o cabelo da mesma.
- sei disso querida, o que me deixou assim e saber que ele irá sofrer, ele realmente a ama Annalu, e ficar longe de você será demais para ele.
- mas não será por muito tempo. – disse sorrindo me desprendendo dela. Ela olhou-me como ar de piedade e logo disse.
- oh querida, nosso tempo em Miami não terá mais prazo, será permanente. – disse ela tocando meus cabelos com ar maternal. No segundo seguinte meu mundo caiu, eu estaria perder Austin para sempre.
- não pode ser. – disse olhando incrédula.
- sinto muito querida, mas é isso, eu e Austin vamos de mudança para Miami, eu sinto muito. – ela disse secando as lagrimas que já desciam pela minha face.
Eu estava destruída, desolada, mas não podia destruir o sonho de Austin, se o amava como dizia tinha que deixá-lo seguir seu sonho, tinha que deixá-lo ir, era um sacrifico, algo que só alguém que amo que pode fazer tal ato.
Eu levantei da cama e andei ate aporta de costas, secando minhas lagrimas, quando já estava no corredor me virei e corri em direção as escadas, antes de chegar as mesmas Austin agarrou-me pelos ombros e perguntou-me.
- o que houve pequena porque está chorando?
- não foi nada. – disse tentando me soltar.
- hey fale-me o que aconteceu? – perguntou ela nervoso.
- não foi nada já disse, quer saber me esqueça. – disse o mais estúpida que pude, era o certo a fazer deixá-lo seguir seu caminho, mesmo este não sendo ao meu lado...
Eu iria destruir o sonho dele, eu o amava e isso seria egoísmo de minha parte.

Soltei-me dele e corri escadas abaixo, eu queria o Maximo longe dele, não o queria ver partir, eu já estava em pedaços, se o visse partir eu desmoronaria por completo, partes de mim estavam em pedaços se o visse ir para longe de mim eu quebraria por completo, como um vidro quando cai ao chão.


Autora On

O garoto se sentia confuso, o que tinha acontecido para ela o ter desprezado daquele jeito, ele tinha dito algo, feito algo?
- o que aconteceu com ela? – perguntou Austin assim que viu sua mãe sair do quarto, a mesma nada disse, ele a encarou melhor e viu que a mesma limpava o rosto, então ele perguntou.
- o que aconteceu?
- disse a ela a verdade.
- que verdade? – perguntou o garoto atordoado.
- Austin não iremos ficar três meses em Miami. – disse a mulher se aproximando do garoto que agora se encontrava mais confuso que nunca.
- vamos ficar quatro, cinco meses é isso? – perguntou o jovem.
- não querido. – começou a mulher tocando os cabelos do filho e logo continuou. – estamos indo de mudança para Miami, iremos morar lá. – disse ela por fim, fazendo Austin se afastar dela e gritar a plenos pulmões que não iria, que ele ficaria com Annalu, prometeram a ele que seriam apenas meses e não uma mudança definitiva como apresentavam agora. Passou na cabeça dele por instantes desistir de tudo, de seu sonho pelo amor de sua vida, mas ele ouviu da boca de annalu que a mesma o queria longe, que não queria vê-lo, será que ela estava magoada com algo? Ele não teve tempo de descobrir ela correu para longe dele, em direção da rua.

[...]

- tudo pronto? – perguntou Michele a Austin em quanto o mesmo colocava sua ultima mala no porta malas da caminhonete 1982, vermelha herdade de seu falecido pai, que agora pertencia a ele e sua mãe.
Austin não respondeu, apenas fechou o porta-malas e entrou no carro, ela não queria falar com ninguém, já havia se despedido de Alex e Robert, Emma estava lá também, mas quem ele mais queria ver não estava.
Robert dissera a ele que Annalu não estava em casa quando o mesmo saiu da residência, pensou que a garota estivesse com Austin, mas constatou que não estava assim que chegou ali. O desapontamento de Austin foi maior, pois ele não a veria pela ultima vez ante de ir embora de San Antonio.
Michele entrou no carro e logo ligou o mesmo, percorrendo a rua rumo a saída da cidade.

O carro passava pelo centro da cidade quando ele avistou de longe Annalu, com o vestido vermelho, calçados nas mãos, rosto baixo, parecia chorar perdidas em pensamento, por segundos pensou em pular com o carro em movimento, mas o Maximo que pode foi abaixar o vidro e gritar.
- Annalu eu voltarei MY FAVORITE GIRL eu te amo, me espere, EU VOLTAREI. – a face da garota se ergueu ela enxergou seu garoto sumindo no horizonte dentro de um carro, e suas lagrimas se formaram mais densas, inundando sua face, ela se sentia desolada, perdida, como se tivessem arrancado um pedaço de seu coração, como se o tivesse quebrado em mil e um pedaços, era horrível se sentir assim, mas ela tinha uma esperança, ele disse que voltaria, que voltaria para ela, e era isso não a faria desistir, ela continuaria vivendo, ate a sua única exceção voltar, ate seu primeiro e único amor estar de volta ao seu lado.

....

Heey esse foi o ultimo capitulo da 1ª temporada espero que tenhm gostado, e desculpem a demora pra postar aqui, ando ocupada com a escola e outras coisas, mas promento ser mais rapida, estou só eu escrevendo os capitulo, Mila está sem tempo e não tenho mais falando com a Vanessa então está me dificil, se tem alguem que queria me ajudar pode avisar *-*.

Posto a 2ª temporada com 5 comentarios aqui bjs loves.

 Divulgando:
 

4 de abr de 2013

Selinho =)))

Heeeeeeeeeeey loves, ganhei meu primeiro selinho, da linda da Gabi Sousa do blog Modas e Bigodes 
obrigada eu amei.

 
Bom seguindo as regras tenho que passar para 5 blog que também deveram seguir essas regras, que são:

- Tem que repassar o tag para 5 Blogs
- Repassar com o selinho (Imagem)
- Colocar o Link de quem criou e quem passou
- Assim que receber o Tag tera que repassa-lo no prazo de uma semana
- Avisar o Blog que tem um tag para eles !
- Tem que criar 5 perguntas nos quais os Blogs escolhidos terão que responder.

Perguntas que tive que responder:



- Qual a primeira música que te fez chorar?
Skyscaper da Demi
- Por que você criou o blog?
Por que eu amo o austin e resolvi comprartilhar com as outras mahomies minhas fantacias com o bear
- Quem são seus ídolos e como você os conheceu?
Demi Lovato, One Direction e Austin Mahone.
Bom a deme conheci com a maioria das pessoas pelo Camp Rock, a 1D conheci lendo uma fic com o Big Time Hush e o austin eu conheci junto de mniha melhor amiga enquanto fuxicavamso o face kkkk.
- Qual o filme que mais te inspira?
Sons do coração é um bom filme para quem ama um drama
- Como você sabe quem são seus amigos? E o que você faz por eles?.
São meus amigos aqueles que sempre querer me ver sorrir e que sempre me ajudam nas horas difeicieis. Bah não me lembro, mas acho que já dei muitos conselhos pra dona Mila e ela pode confirmar isso kkk.

Blogs que indico... 


Perguntas que devem responder.

- O que escrever significa pra você?
- Uma musica?
- Um altor favorito?
- Uma frase que te inspira?
- Por que crio o blog?

Bom é isso espero que os blogs que ganharam o selinho gostem, amo vocês *-*.

The Only Exception Vapitulo 21 - Last Night



  http://static.tumblr.com/0cef05ca3af00f28d4f3b6bc259b5daa/qizzuqr/M27mj0kb6/tumblr_static_tumblr_mf92g38x4t1rab502o1_500.jpg

"A coisa mais importante do mundo é não esquecer a quem amamos."

Algumas semanas depois...

Annalu On

- anda logo Robert iremos chegar atrasados. – dizia eu ao meu atrasado primo, se não saíssemos aquela hora de casa com certeza  chegaríamos no segundo sinal na escola.
- eu estou indo. – disse ele descendo as escadas colocando o casaco, pois hoje como se o tempo prevê-se o dia triste que se planejava resolveu fazer um frio.
Hoje era o ultimo dia de Austin em San Antonio, eu estava triste, de maneira que mal conseguia me imaginar sem Austin ao meu lado.

Para me “despedir” dele planejei um pequeno jantar no meu lugar favorito aqui em San Antonio o Daniel’s, uma pequena lanchonete no centro da cidade, onde haviam reservados apenas para duas pessoas, e também ali era a casa do melhor bacon canadense com batata da região.

[...]

Alguns minutos depois Robert já encostava seu carro em umas das vagas disponilibizadas para os alunos no estacionamento do colégio, notava-se que o primeiro sinal já havia batido, então teríamos que esperar ate o segundo sinal bater para podermos entrar na sala de aula, mentalmente agradeci, pois não precisaria encarar a tão odiada Educação física.

Não demorou muito ate que o segundo sinal tocasse, eu despedi-me de Robert e corri para a minha aula, que seria matemática, só por que amo né.

Quando entrei na sala, vi Belinda e Alex sentados juntos, juntos ate de mais, há algumas semanas eles vem ficados muito juntos, as vezes nem os vemos na hora do almoço, logo atrás deles estava Austin, com uma notável cara de tédio, quando nosso olhares se cruzaram ele sorriu, eu sorri de volta e caminhei ate ele sentando na classe ao seu lado.
- bom dia my bear. – falei depositando um selinho dele.
- bom dia minha princesa, porque não veio na primeira aula? – perguntou ele se ajeitando na cadeira, ficando virando com as pernas sobre as minas e suas mãos juntas as minhas.
- Robert se atrasou, ontem à noite ele saiu às pressas de casa depois que tia Mandy dormiu isso aconteceu depois que ele recebeu uma ligação. – expliquei
- estranho isso, ontem à noite vi Robert entrando na casa de Emma e logo os dois saírem apresados com o irmão dela só não sei para onde.
- estranho. – disse e logo continuei trocando de assunto. – mudando de assunto, tenho uma supressa pra você hoje.
- pra mim? – perguntou Austin entusiasmado.
- é..- disse sorrindo
- e o que seria?
- vamos jantar e fazer um passeio, já que esse é seu ultimo dia aqui. – disse eu já com um tom de voz triste.
- hey princesa lembra-se sempre com você, e eu logo voltarei seram apenas três meses longe.
- eu estarei esperando, você. – disse tentando sorrir, mas o máximo que consegui foi um meio sorriso um tanto quando forçado.

Emma On

- como está Enzo? – perguntou Robert logo depois de sentar ao meu lado na aula de química.
- está melhor, não está mais com febre. – disse eu
- isso é ótimo. – disse ele sorrindo com um assustador entusiasmos.
- é. – falei o olhando.
- posso o ver hoje? – ele perguntou olhando-me implorando com os olhos.
- claro. – disse virando-me para frente para não fitar ele, se não aconteceria como ontem, no meu momento de desespero acabei o beijando, pois eu precisava daquilo, estava preocupada com o meu filho, e ele estava lá, me ajudando, cuidando-me, simplesmente não resisti e o beijei, e prometi a mim mesma que isso não poderia acontecer novamente, não queria que meu coração se partisse novamente.
- eu fiz algo? – perguntou ele.
- eu estou evitando você. – falei calma, mas por dentro tremia só de ouvir sua voz.
- por que? pensei que tudo estava resolvido, ontem você me beijou.- disse ele segurando meu rosto e o virando. – pensei que estávamos juntos novamente, pensei que iríamos cuidar de Enzo juntos. – disse ele acariciando minha face e com o carinho fechei meus olhos.
- eu não posso me deixar enganar novamente. – disse em um fio de voz
- não se engane, apenas deixe-me te fazer feliz pequena. – disse ele, e podia sentir a respiração do mesmo próxima de mais, jurava que ele iria me beijar, sorte nossa que havia poucos alunos na sala e o professor como de costume estava atrasado.
Logo senti os lábios de Robert sobre os meus, iniciando um beijo calmo e cheio de ternura, era difícil recusar o beijo de quem você amou, ou ama como é o meu caso.

Annalu On

Já se passavam das sete meia da noite, eu terminava de arrumar-me, havia colocado o meu vestido vermelho, ao qual Austin amava me ver vestindo, era uma noite especial então merecia roupas especiais.

Meu cabelo por um milagre havia colaborado, estava perfeito, com seus ondulados no lugar, formando lindas ondas ao logo do cabelo dando um ar de natural, bom era assim que ele estava, natural. Meu rosto era coberto por uma maquiagem básica que consistia: pó, blush, sombra em um azul, rimel, delineador e um batom num tom de rosa claro.


[...]

- você está linda. – disse Austin assim que abri a porta.
- obrigada. – sorri tímida, e logo completei. – você também está lindo.
Ele sorriu e logo perguntou.
- então onde vamos?
- ao Daniel’s, e depois você pode escolher o lugar. – disse eu já fechando a porta atrás de mim.
- você está viciada em bacon canadense, menina, olhe que ira engordar. – disse ele tocando minha barriga e rindo.
- acha que estou gorda? Devo parar de comer? – perguntei aflita, falar sobre meu peso sempre me preocupava, motivos não faltavam.
- hey, estou apenas brincando, você está perfeita. – disse Austin parando a minha frente e segurando meu rosto.
- acha mesmo? – perguntei fitando.
- tenho a maior certeza do mundo, e mesmo que você estivesse um pouco fora do peso você seria perfeita, a minha perfeita. – ele disse depositando um selinho em meus lábios, e um tímido sorriso surgiu em meus lábios, ele realmente era meu príncipe.

[...]

- tem como não amar bacon canadense? – perguntei a Austin colocando uma enorme fatia de bacon na boca, Austin riu e disse.
- tem como não amar você? – eu o olhei e sorri.
- bobo. – disse colocando as mãos no rosto, um modo de esconder minha vergonha já nítida no rosto.
- o meu deus, você fica tão fofa quando esta envergonhada disse Austin, tirei minhas mãos da face e vi que ele estava sentado ao meu lado, com o seu lindo sorriso nos lábios. Ele acariciou meu rosto com uma de suas mãos e eu fechei meus olhos sentindo meu carinho, e logo disse.
- sentirei sua falta. – disse segurando para não derramar nenhuma lagrima, pelo menos não agora.
- eu também pequena, muita. – disse ele em um sussurro, e logo senti leves beijos contornando meus lábios, num fiz questão de abrir meu olhos, apenas me entreguei ao beijo que começava ser iniciado, apenas aproveitando um dos nossos últimos beijos, que eu esperava provar logo novamente.

[...]

- tem certeza que sua mãe não está em casa? – perguntei a Austin, acho que pela 20ª vez.
- claro que tenho, estamos apenas eu e você aqui, entre. – disse ele dando-me passagem para entrar, assim fiz, e logo contemplei uma escuridão incomoda para meus olhos, mas que aos poucos foram se acostumando.
- onde sua mãe está? – perguntei enquanto eu seguia Austin escada a cima em direção de seu quarto.
- em sua festa de despedidas, planejada pela sua tia e algumas amigas de minha mãe.
- hum. – disse sem falar mais nada, apenas subi a escadas com as mãos entrelaçadas com as de Austin, seguimos para seu quarto, logo encontramos a porta do mesmo e entramos, Austin ligou a luz e por um minuto fechei meus olhos por causa da claridade, mas logo tornei a abri-los tentando assim me acostumar com a claridade.
- então o que vamos fazer? – perguntou Austin com um travesso sorriso nos lábios.
- não sei diga você. – disse sentando-me em sua cama.
- tenho um plano quer ouvi-lo? – perguntou-me ele.
- diga. – disse ajeitando-me melhor na cama, tirando meu sapato e me encostando-se à cabeceira da cama.
- o que acha de nos despedirmos direito? – disse ele pondo-se sobre mim e beijando meu maxilar, logo percorrendo um caminho de beijos ate meus lábios, juntando o seu ao meu em um beijo calmo, que aos poucos foi sendo intensificado e nele se acrescentara-se também mordidas no lábio inferior, Austin soltou meus lábios por um minutos e pôs-me em seu colo, ficando ele deitado na cama e olhou fixo em mês olhos e disse.
- quero te-la novamente em meu braças, nem que seja pela ultima vez.
- você sabe que isso não será por muito tempo não é? – perguntei-lhe
- eu sei, mas quero tê-la perto de mim hoje. – disse ele abraçando-me e beijando de leve meus lábios.
- eu sou sua. – disse eu.

[...]

- eu a amo. – disse Austin antes de penetrar-me, eu o selei e logo ele fez o ato, dei um suspiro, seguido de um leve gemido de Austin que ao mesmo tempo apertou minha cintura com uma de suas mãos, seus movimento era gentis, mas ágeis, em um ritmo um pouco acelerado e que as vezes parecia se desfalecer, mas logo voltava em um ritmo considerável, os suspiros de Austin não era diferentes, as vezes soavam freqüentemente outras vezes não podiam ser ouvidos de tão baixos, os meus as vezes beiravam a gritos, o que eu temia, pois se algum dos vizinhos ouvisse com certeza Michele seria avisada e em minutos chegaria em casa, e não seria nada agradável ela nos ver nessa situação.

-posso ir um pouco mais rápido? – perguntou-me Austin despertando de meus devaneios, apenas assenti olhando para o teto, sentindo os movimento sendo acelerados, fazendo Austin suspirar pesadamente sobre meu pescoço, e eu deixar um gemido, mas como segurar, aquilo está sendo nossa melhor noite, a mais romântica e a mais triste ao mesmo tempo, de certa forma aquela estava sendo nossa ultima noite, a ultima noite em que tínhamos para nos amar.

[...]

- isso foi incrível. – disse Austin pondo-se ao meu lado, e puxando-me para deitar em seu peito, assim fiz.
- eu o amo muito. – disse eu, pondo minhas duas mãos no peito de Austin
- eu também a amo muito. – disse ele acariciando minha face.
- promete nunca me esquecer? – perguntei o fitando.
- isso nunca acontecerá pequena nunca. – disse ele afagando meu cabelos e com o seu belo sorriso no rosto.
- eu nunca vou te esquecer, você foi a melhor coisa que já aconteceu em minha vida. – disse eu deitando minha cabeça em seu peito novamente.
- nem eu a esquecerei minha pequena, você é muito, mais muito importante para mim, eu a amo muito. – ele falou e me abraçou forte juntando nossos corpos ainda nus e um pouco suados fechei meus olhos e logo disse.
- cante pra mim?
- claro minha princesa. – disse ele, e logo o mesmo começou a cantar em sussurros as partes soltas de Favorite Girl, a musica que ele havia gravado um cover e dedicado a mim, a sua garota favorita... Eu logo senti o sono pesando minhas pálpebras a ultima frase por mim ouvida foi “eu nunca a esquecerei minha princesa”, e logo cai em um sono profundo, em sonhos de minha imaginação que sem duvidas eram carregados de Austin....

Continua....

Oi loves desculpas a demora com a Mila disse fiquei sem net, e cara como é chato quando isso acontece, bom com esse tempo eu escrevi o capitulo sozinha pq as colaboradoras estão cocupadas e tasl, mas bem espero que gostem, e bem primeira temporada em reta final.

Continua com 5 comentarios, tem como??

 

2 de abr de 2013

Explicações 


Heey Liamdas, bom aqui é a Mila (: 
Vim aqui explicar o motivo de não estarmos postando, é que a Nana está sem internet e o capitulo já está pronto só que ele está com a Nana e não tem como ela me mandar e tipo não moramos mais na mesma cidade então é complicado, espero que nos perdoem e logo logo estaremos de volta.
Kissus ;*