30 de mai de 2013

Endleyssly capitulo 4 - Ele voltou...


"Amo tudo em você, que até dói."

...

- Onde você está Austin? – gritava minha mãe ao telefone.
- estou voltando a San Antonio. – dizia eu já no portão de embarque.
- o que pensa que está fazendo menino? – perguntou-me ela aos gritos.
- eu não consigo ficar longe dela, eu a amo. – disse calmo.
- e tudo o que conquistou, e o contrato? Vai deixar tudo para trás? – perguntou-me ela agora mais calma.
- já tive a prova que tudo isso não vale apena se ela não estiver ao meu lado, sem ela a vida é uma merda. – disse o mais direto possível.
- ela é apenas uma garota. - disse ela voltando ao tom de antes, alto e com desdém.
- não ela é a minha garota. – disse duro e desliguei o celular, sei que foi errado terminar a ligação assim, mas era preciso não suportaria ver minha mãe ofendendo Annalu.

...

- voo com destino a Austin – Texas* embarque no portão três. – ouvi a voz de uma mulher ecoar pelo enorme salão do aeroporto de NY. Eu levantei-me do acento onde me encontrava e andei com minha mala de rodas, e meu celular em mãos, passei pelo portão e repeti mentalmente.
- só mais algumas horas.

Já dentro do avião eu sentei em minha poltrona classe econômica, e logo peguei meu celular e digitei uma mensagem para Annalu, não revelando minha chegada, mas deixando duvidas no ar sobre o assunto.

Annalu On
Estava na casa de Emma e logo recebo um sms, quando li o remetente meu coração desparou e me deu um aperto em meu peito então abria a mensagem e a mesma falava.

“A saudade está grande, mas ela me parecer estar ao fim.”

Mas o que é isto? Oque você quer dizer com isto Austin? Você está me deixando louca a cada dia, eu sinto sua falta eu preciso de você, eu e nosso filho – falei acariciando minha barriga que a cada dia crescia mais, eu não sei como vou poder esconder isso por mais tempo.
- Gente olha a mensagem que Austin me mandou, “A saudade está grande, mas ela me parecer estar ao fim.”
- Nossa será que ela vai voltar? - Emma falou pegando o celular de minha mão.
- É muito bom que ele volte mesmo, pois agora ele será pai e terá que arcar com as consequências.
- Não exagera né Robert.
- Estou falando sério garota, mas me diga por quanto tempo você espera esconder isso da minha mãe e de Austin?
- Eu não sei, sinceramente não sei, mas eu preciso ter certeza de estar gravida preciso fazer um teste, Robert vá até a farmácia e compre um teste de gravidez para mim.
- Quee? Tá ficando louca é? – Ele falou erguendo as mãos.
- Deixa de ser idiota garoto, vai lá de uma vez.
- Ta bom, volto logo.

 15 minutos depois

- Até que um dia né garoto – Emma falou tomando-lhe o pacote.
- Annalu, vá até o banheiro e faça esse teste logo – Emma disse me empurrando e fechando a porta atrás de mim.
5 minutos depois eu saio do banheiro.
- E então Annalu, o que deu? – Eu estava chocada, apenas balancei minha cabeça afirmativamente.
- Ah eu mato esse moleque – Robert gritou batendo na mesa ao seu lado.
- Ele não tem culpa, pelo menos não só ele. – disse eu.
- Annalu está certa Robert, mas me diga o que vai fazer? Vai contar para ele? – disse Emma.
- Eu vou cuidar do meu filho, vou dar todo amor para essa criança pois ela é fruto de um amor, um amor verdadeiro, e antes que vocês me perguntem eu não vou contar a Austin pelo menos não agora ele está começando a carreira não posso deixa-lo destruir seu sonho.
- Bom você quem sabe, eu só sei que vamos estar aqui sempre para lhe ajudar – Robert disse e logo os dois me abraçaram.
- Eu amo vocês.
- Bom eu vou para casa gente.
- eu te levo Annalu. – disse rob
- Não Robert fica ai com a Emma, eu vou sozinha estou me sentindo muito bem.
- Você tem certeza?
- Absoluta, beijo gente.
Em pouco tempo estava em casa eu estava com medo, como iria contar isso a minha tia, ela iria me matar, estava deitada no sofá quando a campainha toca.
- Ai Robert esqueceu a chave de novo, mas você não apre... – Perdi a fala logo ao ver quem estava ao lado de fora.
- Austin – Apenas disse isso e pulei em seu colo, lhe enchendo de beijos.
- Minha pequena que saudades de você – Ele colou-me no chão – Mas você está pesadinha né – ele falou rindo e me dando um beijo.
- Mas por que não me contou que estava vindo?
- Bom eu te dei uma pista, queria fazer surpresa
- uma grande surpresa. – disse em sussurros.
- disse algo? – perguntou Austin.
- nada. – disse sorrindo, mas era mentira algo acontecia, eu estava gravida dele, e não queria contar-lhe.

- então por que está aqui? Pensei que estivesse em turnê. – o questionei.
- eu estava, mas não aguentavam ias ficar longe de você. – disse ele acariciando minha face.
- senti muita saudade sua. – falei entrelaçando meus dedos nos fios de cabelo dele.
- imagina eu, parecia que eu iria morrer a cada dia que passasse longe de você. – ele falou e junto seus lábios os meus em um beijo calmo.


Depois do beijo ficamos ali jogados no sofá em deitada junto a ele, o meu Austin.

Continua...

*Austin é a capital do Texas (sinta o poder do Austin Mahone haha)

Oi mahomies do meu coração, então o que acharam do reencontro da Annalu com o Austin? Será que ela vai contar que está gravida??
Comentem.


Continua com 7 comentários...

21 de mai de 2013

Endleyssly Capitulo 3 - Our song...



"Look in your eyes, kiss your lips"

Annalu On
 - você está bem annalu? – perguntou-me Robert, eu estava no banheiro, colocando tudo o que tinha comido no jantar pra fora, e agora que começo a acreditar que o que Emma disse seja verdade.
- estou sim Rob – disse algo que pudesse tranquilizá-lo, minha tia como de costume essa semana, não estava no jantar, eu só a via no café da manha.


Sai do banheiro, e encontrei Robert encostado na parede, ele olhou-me e disse.
- tem certeza que está tudo bem?
- claro rob, não se preocupe. – disse sorrindo.
- precisa de algo? – perguntou-me ele.
- preciso que me leve ate Emma, pode fazer isso? – eu o questionei.
- claro. – disse ele alegre demais para ir à casa de Emma.


Dez minutos depois Rob já estacionava o carro a frente da casa de Emma, eu sai do carro e vi que Robert não havia feito o mesmo.
- vamos rob.
- não Ann, prefiro ficar aqui. – disse ele olhando para a porta da casa de emma.
- tem certeza? – perguntei.
- sim. – disse ele
- tudo bem, não demoro.
Ele sorriu e eu andei ate a porta da casa de Emma, toquei a campainha, e logo um pequeno garoto loiro a atendeu, não devia ter mais que dois anos, ele olhou-me e disse.
- oi sou Enzo...- ele iria continuar, mas quando viu o carro de Robert correu gritando algo que me deixou confusa.
- papai, papai. – eu olhei para Robert que tinha uma expressão nervosa, mas mesmo assim ele abriu a porta do carro e pegou o pequeno garoto no colo, o mesmo se agarrou no pescoço de Robert e sorriu, Robert olhava para mim desnorteado, ele escondia-me algo, ate porque o irmão de Emma o chamaria de pai?
- annalu. – ouvi a voz de Emma atrás de mim, virei-me e a vi com um sorriso, mas o mesmo se desfez quando viu Robert com o pequeno garoto nos baços caminhando ate nós.
- por que seu irmão chama Robert de pai? – perguntei o mais direta possível, ela olhou-me e logo vi sua face ficar tensa, ficou alguns minutos calada, parecia buscar palavras para explicar aquilo, então logo disse.
- preciso confessar-lhe algo. – disse ela puxando-me para dentro da casa.
- diga-me. – a incentivei assim que já estávamos sentadas.
- Enzo não é meu irmão. – disse ela olhando pra as mãos.
- ele é adotado? – perguntei com minha inocência.
- não Annalu, Enzo é meu filho. – disse ela olhando-me. Fiquei surpresa e então juntei as peças.
- Robert é o pai de Enzo? – a questionei.
- sim. – ela disse com a voz vacilante, tive a impressão de que ela queria muito chorar.
- por que nunca me contou?
- annalu não é tão fácil assim, não queria ser julga, por ser uma garota de 16 anos que já é mãe. – disse ela fitando-me.
- e Robert porque nunca me disse nada que vocês namoraram? -  perguntei-lhe
- tínhamos ambos 15 anos quando tudo aconteceu, era difícil você dizer por ai que seria pai, e esse foi um dos pontos para Robert se afastar de mim, ele sempre ajudou-me financeiramente, mas isso não adiantou muito, eu sentia falta de tê-lo por perto me ajudando, quando transamos ele disse que sempre ficaria comigo, para todo sempre, foi a frase dita por ele, mas na realidade não foi assim, quando soube que eu estava grávida fugiu, evitou-me, então passei um tempo na casa de minha avó ate enzo nascer, agora ele quer tentar ser pai, mas eu não acredito mais nele, ele feriu-me, ele quebrou meu coração. – disse ela já com lagrimas rolando.
- não foi minha intenção. – ouviu-se a voz de Robert, logo o mesmo apareceu com o pequeno garoto nos braços, ele se aproximou de emma, e a puxou para ficar de pé, secou suas lágrimas e acariciou seu rosto, e logo juntou sua testa a dela e disse.
- sinto muito, por tudo que eu fiz, eu pensei que me livrando da responsabilidade de cuidar de uma criança seria o melhor, mas o melhor é ficar junto a ti e a ele. – disse Robert abraçando Enzo e Emma.
- eu amo vocês. – acrescentou ele, enzo os abraçou enlaçando os pequenos braços em volta do pescoço de Rob e Emma.
 Um linda sena, pena que não durou muito, eu logo senti-me mal, tudo ficou preto e antes de fechar meu olhos e desmaiar ouvi Robert gritar meu nome.

...

- annalu, ann, annalu? – ouvi distante a voz de Robert, logo a mesma começou a aproximar-se abri meus olhos e vi Robert e Emma quase que grudados ao meu rosto.
- preciso respirar gente. – disse empurrando-os pra longe de mim.
- você está melhor? – perguntou-me Emma.
- creio que sim foi apenas um mal estar. – disse eu.
- você precisa ir ao medico ann. – comentou Rob preocupado.
- não. – respondi rápido e em tom desesperado, ele me olhou confuso, então Emma disse.
- devia contar a ele.
- você acha? – perguntei olhando a ela. A mesma apenas assentiu.
- diga o que tens a contar para mim? – perguntou Robert curioso e nervoso.
- eu acho... - comecei receosa.
- achas? – incentivou-me ele.
- eu acho que estou gravida. – disse sem fita-lo, o mesmo grunhiu e levantou-se de pé e gritou.
- eu mato o Austin.
- pare de ameaçar o pai do filho de Annalu. – disse Emma a Robert. – você acha que meu pai não quis te matar quando soube que era você o pai de Enzo, mas eu não deixei fazer tal ato, e não deixarei fazer isso com Austin, afinal de contas Austin é seu amigo também. – argumentou Emma.
- mas eu sabia que algo ia acontecer se eles se envolvessem, e olha no que deu minha prima está gravida enquanto ele está em turnê pelo país. - disse Robert revoltado.
- a culpa não é só dele. – disse fitando o chão, robert ficou calado, depois sentou ao meu lado e disse.
- você terá que dizer a ele.
- e destruir o sonho dele, nem pensar.
- não pode criar essa criança sozinha. – disse ele tocando minhas mãos.
- Não posso fazer isso com ele, irei destruir o sonho dele se cortar que estou gravida.
- e acha que conseguira fazer isso sozinha, não é fácil. – disse Emma.
- eu não sei se dará certo, mas eu vou tentar, eu preciso.
Os dois me fitarem por minutos, ate Robert falar abraçando-me.
- eu estarei aqui para o que precisar Ann.
- eu também Annalu, é para isso que servem os amigos. – disse Emma sentando ao meu lado direito com Enzo em seu colo.

Eu não tinha Austin, mas tinha eles, Rob e Emma, tudo o que eu precisava naquele momento.

Austin On

- hoje à tarde temos um show no Central Park, e logo apos seguiremos direto para Orlando. – dizia Tim a minha agenda de shows marcados para aquele dia, um sábado para ser exato.
- tudo bem. – eu disse colocando meu fone de ouvido, logo escutando o toque de As Long As You Love Me começar, desde que comecei a turnê essa tem sido a musica que mais escuto, tudo por que ela me lembra Annalu.
As frases da musica me traziam as lembranças de Annalu, seu rosto, seu sorriso, sua voz, seu olhar, tudo era lembrado, era doloroso estar tão longe dela, eu queria poder toca-la, senti-la em meus braços, faze-la minha a noite, apenas minha.

[...]

- Boa tarde NY. – gritei eu assim que subi ao palco, era uma multidão de garotas ali, espremidas, mas em seus rostos haviam lindos sorrisos, e pensar que elas estavam ali para me ver, fazia-me sentir um sensação maravilhosa.
Elas gritaram e eu sorri e logo comecei a falar.
- a pouco mais de 4 meses eu era apenas um garoto comum que tinha um sonho, e hoje eu vivo esse sonho e tudo graças a vocês obrigado. – elas gritaram, eu respirei e logo continuei. – uma semana atrás escrevi um musica, ela é especial pra mim, e queria partilhar ela com vocês hoje, eu coloquei o nome de Heart In My Hand.- logo os músicos começaram a melodia, eu concentrei-me no rosto de Annalu, ela sorria lindamente como sempre, e logo comecei a cantar.

“Well let's go back to the day
When I saw your face for the very first time
Well let's go back again
When I Held your hand and stared into your eyes

Cause I knew you were the one
With you my life has just begun
Baby you can count on me”

Todas aquelas palavras eram para ela, para minha doce Annalu.

“Cause your heart
Is in my hands
Oh yeah

Well let's go back in time
Always knew that you'd be mine
And I'm never gonna find someone as beautiful as you girl

Got my hands right on your waist
Look in your eyes, kiss your lips
Touch up on your face
Can't forget the way I feel your smile”

A cada palavra dita o meu ar parecia faltar, meus olhos marejavam, eu sentia-me sufocado, de momento ouvi um sussurro de uma garota a frente do palco.
- ele está chorando?
Então permiti-me deixar um lagrima escorrer e logo atrás delas vieram outras e um choro incontrolável se formou, minha voz ficou embargada e minha saliva densa eu não consegui mais pronunciar as palavras certas então parei e disse ao microfone.
- me desculpem. – e imediatamente sai do palco, Dave segurou meu braço antes de eu terminar de descer os degraus da pequena escada.
- o que está fazendo dude?
- eu não posso fazer isso, diga a Tim que vou voltar a san antonio, hoje mesmo. – disse me soltando dele.
Eu precisava de Annalu, sem ela a vida não tem sentido e nem logica. Eu iria voltar pra ela, para os braços de minha pequena.

Continua...

Hey lindas, alguém gostou?? Comente.

Continua com 7 comentários.

12 de mai de 2013

EXPLICAÇÕES



Heeey gente, sou eu Mila vim aqui para avisar o porque da demora.
Bem é que a nana se mudou de casa e está sem internet, portanto os capitulos estão com ela e não tenho como postar, irei ver se arrumo um tempinho para escreve-los novamente e postar para vocês peço que sejam pacientes pois nosso tempo é curto e a partir de amanha a Nana passará a estudar de manha e a tarde terá apenas um tempo a noite para escrever só que não será sempre pois ela tem que descançar e fazer outras coisas em casa, eu irei ver se consigo postar com mais frequência para vocês já que tenho um tempinho livre a tarde, espero que não nos abandonem e nos entendam.
Kissus ♥

2 de mai de 2013

Endlessly Capitulo 2 - Doce Annalu..



 

"Não escolhi ficar apaixonado, apenas acnteceu"

Austin On

- está pronto Austin? – perguntou-me Tim, me acompanhava ate o estúdio da radio metropolitana Detroit.
- Tim essa não é o primeiro estúdio de radio que entro. – disse rindo.
- eu sei, mas sei lá fico nervoso por você. – disse ele rindo nervoso.
- não fiquei. – disse tocando seu ombro em forma divertida e andando mais à frente dele.

- hey mahomies de plantão fiquem atentas que depois dos nossos patrocinadores teremos Austin Mahone no estúdio. – disse Greg o radialista, ele colou um efeito sonoro de garotas gritando e apertou um botão fazendo uma placa escrita ON AIR se apagar, ele levantou de sua cadeira e veio ate mim sorrindo.
- bem vindo bro, tenho que te dar os parabéns você está virando uma febre, minha filha mesmo é sua fã. – disse ele comprimentando-me.
- obrigada. – disse rindo e o dando um abraço de ombro.

[...]

- então Austin como é ter varias garotas gritando seu nome? – perguntou Greg, se não me engano era a 5ª pergunta desde que entramos no ar.
- é estranho. – disse e logo ri.
- porque estranho? – perguntou greg rindo junto a mim.
- nunca imaginei meu nome sendo dito por milhares de garotas e ver aquilo às vezes me deixa assustado. – disse explicando.
-as vezes as garotas são malucas. – disse greg rindo e eu o acompanhei e logo acrescentei.
- isso é verdade algumas delas já tentaram me beijar- greg alargou seu sorrindo o transformando em uma gargalhada e eu o acompanhei.
- amor de fã. – disse ele e eu apenas concordei.

[...]

- esse foi o Austin Mahone na Metropolitana Detroit, bom cara quero te agradecer pela presença e te desejar muito sucesso. – disse Greg ainda no ar.
- obrigada, foi um prazer estar aqui. - disse perto do microfone, logo Greg balbuciou algo como “já voltamos fiquei com As Long As you Love Me do JB.”
Ele apertou o mesmo botão de antes de logo já no estávamos mais no ar, eu podia ouvir tocar ao fundo a musica do Justin e partes dela me fazia lembrar de Annalu.
Levantei-me da cadeira despedi-me de Greg e segui ate o corredor, sendo acompanhado de Tim e Dave.

Mas as palavras da musica do Justin não saiam de minha cabeça.

“Contanto que você me ame
Poderíamos estar passando fome
Poderíamos estar desabrigados
Poderíamos estar sem dinheiro
Contanto que você me ame
Serei sua platina
Serei sua prata
Serei seu ouro”

- merda. – sussurrei para mim.
Eu havia a deixado, eu a amava e simplesmente tinha me esquecido dela, nem ligar mais tenho feito.
Ela deve pensar que a esqueci, que não a amo mais.

- aconteceu algo dude? – perguntou Dave tocando meu ombro.
- nada cara, estou apenas pensando. – disse entrando dentro do carro.
- algo ou em alguém? – perguntou ele brincalhão.
Nada disse apenas focalizei minha atenção para o amontoados de carros que já se formavam a frente do meu carro.

[...]

- hey dude quer sair? Vamos dar uma volta por Detroit. – perguntou-me Dave assim que eu abri a porta de meu quarto de hotel.
- não cara, vou ficar por aqui mesmo, estou cansado vou tomar um banho e dormir.
- tudo bem, se precisar de algo ligue-me.
- pode deixar. – disse e entrei no quarto tranquei a porta e já fui tirando minha roupa e fui direto para uma chuveirada, algo que eu precisava muito.
Entrei de baixo da ducha e deixai a água correr pelo meu corpo de modo que todas as coisas ruins descessem pelo ralo junto com a água.

Fiquei ali pensando nela longos minutos, sendo exato 20 minutos, eu precisava daquele tempo para colocar minha idéias no lugar, eu queria vê-la novamente, e eu tinha que fazer isso acontecer.

Sai de meu banho secando meu cabelo, sobre a cama vi meu celular e logo o nome de Annalu me veio a cabeça, peguei o celular e disquei o numero já decorado por mim, se deu alguns toques e logo ouvi a voz dela, parecia choroso.
- estava chorando? – por impulso perguntei, ela gaguejou por segundos e logo disse.
- Austin é você?
- claro pequena, sou eu. – disse calmo, mas ainda desconfiado que ela estava chorando.
- estava com saudades, bom ainda estou queria poder te beijar. – disse ela com a voz embargada.
- também sinto sua falta pequena, queria poder te ter nos meus braços, mas não se preocupe eu logo estarei perto de você novamente.
- Austin...- ela disse meu nome solto no ar, ela tinha intenção de contar-me algo parecia tomar coragem, por longos segundos apenas escutei sua respiração, ela parecia travar uma luta interna, como se pensasse de me diria o não o tinha a dizer.
- sim princesa. – falei
- eu te amo. – falou ela depois de um minuto, tinha certeza de que não era aquilo que ela queria me contar, mas não fiz questão de perguntar apenas respondi.
- também a amo pequena.
- babe preciso desligar, eu como mera mortal tenho aula amanha, te amo e sinto sua falta.
- tudo bem minha pequena, também a amo sinto muita sua falta. Hey annalu sinto falta do seu beijo, eu te amo eternamente.
- também te amo eternamente.

Logo ouvi o som irritando “tu..tu..tu” então pus o celular sobre a cama e levantei-me caminhei ate o closet e procurei por uma roupa.

Já vestido voltei a deitar na cama, liguei a tv e fiquei zipando os canais sem ter realmente algo interessante, de relance vi meu violão sobre uma cadeira com meu boné vermelho sobre seu braço, levantei-me da cama e o peguei levanto ate a cama sentei na mesma e toquei notas soltas, e de momento uma letra e uma melodia surgiram em minha cabeça, logo peguei um caderninho e comecei a escrever a letra junto com a melodia.

[...]

- hey querido acorde já são quase 10:30 da manha. – ouvi a voz suave de minha mãe, abri meus olhos e rapidamente voltei a fechá-los por conta da luz, segundos depois tornei a abri-los agora conseguindo deixá-los abertos, observei o quarto de hotel ainda um pouco sonâmbulo, logo vi o rosto de minha mãe, que estava sentada perto de meus pés, ela sorria, logo me sentei na cama e disse coçando os olhos.
- bom dia.
- bom dia dorminhoco.
Eu sorri leve e espreguicei-me e logo levantei-me, já de pé observei a cama e vi que eu havia dormido com as varias folhas de papel onde eu tinha rabiscado a letra e a melodia de minha musica. O violão estava ao lado onde eu dormia.

- vou tomar um banho. – disse a minha mãe já indo em direção do banheiro.
Entrei no mesmo e despi-me e entrei em baixo da ducha, sentindo a água um pouco fria percorrer minhas costas.

Fiquei debaixo do chuveiro consideráveis minutos, o banho para mim era um momento em pensar na vida, sai do banheiro enrolado na toalha, encontrei minha mãe com algumas folha de papel em mãos, ela me olhou e disse.
- essa musica é pra ela não é?
- tudo que faço é para ela. – disse indo em direção ao pequeno closet e pegando uma roupa confortável.
- sinto muito se está sofrendo. – disse ela depois de segundos, eu já estava vestido e ia em direção a cama.
- eu queria poder voltar a San Antonio. – disse jogando-me na cama.
- sabe que tem que cumprir um contrato meu filho. – disse ela sentando ao meu lado e puxando minha cabeça para seu colo.
- sei disso, mas saiba que quando meu contrato vencer eu volta para San Antonio, quero ver minha pequena, isso é uma promessa. – disse olhando o nada, mas especificamente uma parede onde na mesma se projetava a imagem de Annalu, minha doce e amanha Annalu.

Continua...

Hey loves me desculpem a demora é que to com intoxicação alimentar, poisé isso que dá comer de mais, ou de menos e depois tentar voltar a comer normal, mas isso não vem ao caso, bom também demorei por que estou escrevendo sozinha essa fic, as colaboradoras sumiram AAA desespero, então quem quiser ajudar a escrever me avise.
Beijos Mahomies ♥

Continuo com 7 comentarios...

Mais selinhos UHULES \o/


Heey mahomies de platão, eu ganhei mais dois selinhos, um da Amanda Santos desse blog e Jenifer Santos desse blog, obrigada pelos selinhos suas lindas ♥.

 

 Regras:
- Tem que repassar o tag para 5 Blogs
- Repassar com o selinho (Imagem)
- Colocar o Link de quem criou e quem passou
- Assim que receber o Tag tera que repassa-lo no prazo de uma semana
- Avisar o Blog que tem um tag para eles !
- Tem que criar 5 perguntas nos quais os Blogs escolhidos terão que responder.

Blogs que repasso: 

Perguntas da Amanda


- Qual é o seu filme favorito?
Eu amo o filme O Pacto
- Além de Directioner -Mahomie- o que você é?
Eu gosto de Simple Plan e The Vamps e sou babybeadles e um Drewbear (fã de Andrew Constancio)
- Acredita em amor á primeira vista?
Claro me apaixonei pelo Austin, Andrew e The Vamps ♥
- O que seus ídolos significa para você?
Minha vida..
- Qual foi à coisa mais engraçada que aconteceu com você?
Um vez eu estava na sala de aula, todo mundo estava quieto e eu havia esquecido de colocar o celular no silencioso, e de repente minha linda amiga Mila me liga, por que ela acha que eu não to na escola a queridinha ~ironia gente~, ai começou a tocar Say Somenthin do Austin todo mundo me olhou e a professora só não me expulsou da sala pq eu implorei.

Perguntas da Jenifer


- Gosta de séries de TV?Quais?
Eu amo, minhas preferidas são Sobrenatural e Diário de um Vampiro
- É fã de quem?
Austin Mahone, The Vamps, One Direction, Demi Lovato, Andrew Constancio Christian Beadles
- Com quem você mais se preocupa?
Minha família
- Gostaria de viajar para alguma lugar?
Sim, Londres e San Antonio – Texas ♥
- Tem ciúmes demais?
Não eu acho que na medida.
 
Minhas perguntas

- A masica que mais tem escutado utimalmente?
- Um sonho?
- Idade?
- é fã de quem mais alem do idolo que vc escreve fics? Qual?
- Tem outro blog? Se sim passe ele.


Bom é isso parabéns as blogs ganhadores *-*