30 de jun de 2013

Heey

Ate parece que alguem olharia pra meia A-meezy tendo tu pra adimirar <3

Bom gurias eu estou aqui pra dar um pequeno aviso ~explicação~, bom eu irei postar o capitulo quando a outra autora da fic me der ele, é ela quem o está escrevendo então estou só esperando ela me entregar e quando isso acontecer veio rapidão postar aqui. 

23 de jun de 2013

Preciso compartilhar isso..

Ai meus deus eu não sou uma pessoa normal, acabei por achar Andrew Constancio no Facebook (pra quem  não sabe Andrew é irmão do Alex, um dos melhores amigo do Austin). E bom como sou uma pessoa muito legal, resolvi coversar com o garoto ~lindoooo~ e olha no que acabou.
Fiz ate uma foto pra colocar na minha page do Austin, por que é muita emoção.

Tradução:

Eu- beijos levam a outras coisas boy.
Andrew- outras coisas? Tipo abraços? ~inocencia pessoas~
Eu - sim abraços hahaha
eu amo abraços.
Andrew - diga mais coisas..
Eu - fazer amor na cama Andrew. AAA meus deus eu acabei de fazer um grande revelação ao mundo. Intendeu?
Andrew - tipo sexo? O-O
Eu  -sim, mas com muito amor, não apenas uma diversão, um momento onde duas pessoas que se amam demostram o que sentem um pelo outro.
Andew- OMG estou sem camisa.

Ri muito desse papo, ele é super fofo, se quiser ver quem ele é assista essa video.
Ps: Morro de ri com esse video.
PS2: Andrew é o de moleton cinsa, os dois guris que estão com ele são Ryan e Cole amigos dele ><

E esse é ele meninas.
Rob ~lindo<3~, Meu Andrew, Sarah e o Alex 
Austin ~uii~, Alex e o meu Andrew ~inocente, sqn~ Constancio

Ele me ama né??

PS: Capitulo talvez só terça ok...






22 de jun de 2013

Endleyssly Capitulo 7 - Minha dor, minha insuportavel dor...


"Minha dor está me matando aos poucos"

Alguns dias depois...

- você soube Ann? – perguntou-me Emma.
- o que? – perguntei confusa, abrindo meu armário e pegando meu livro de biologia.
- austin volta hoje pra Miami. – disse ela apoiando-se no armário ao meu lado.
Quando ouvi aquilo meu coração acelerou, não estava acreditando que ele realmente iria me deixar.

- quem disse? – perguntei a olhando.
- Belinda. – disse ela olhando as unhas.
- como ela sabe? – perguntei fechando meu armário.
- ele estava na casa de Alex esses dias que ficou aqui. – disse ela então caminhávamos pelo corredor, um pouco lotado.

- ele é incrível. – disse uma loira vestida de líder de torcida.
- você é uma sortuda por ter beijando Austin Mahone. – falou uma ruiva que acompanhava, elas passaram rindo . Ao ouvir aquilo senti-me destruída mais do que já estava, fitei o chão e senti meus os lacrimejarem.
- não ligue Ann, ele não merece suas lagrimas. – disse emma tocando meu ombro.
- eu fui uma burra. – disse e corri, não queria que Emma visse meu pranto.

Depois de uma pequena corrida entrei no banheiro feminino, joguei minha mochila no chão, e apoiei-me na pia, olhei meu rosto lavados pelas lagrimas e senti pena de mim mesma por ter sido tão idiota.

- eu o odeio, O-D-E-I-O. – gritei olhando o espelho, minhas lagrimas correram mais densas.

Pequei minha mochila e entrei em um dos sanitários, fechei a porta e sentei no chão, pus uma mão em minha barriga e deixei-me ser levada pelas lagrimas que estavam tão difíceis de controlar, mas tão necessárias em sair. Eu precisava de uma alivio.
Pequei minha mochila e abri o fecho apressadamente, a vasculhei e encontrei dentro da mesma um estojo de maquiagem, dentro dele um espelho, eu o tirei dali e o quebrei, olhei meu rosto sujo de rímel através do mesmo, eu estava horrível, mas aquilo não me importava. Estiquei meu braço, e com força arrastei o pedaço de espelho pela pele do meu braço, uma pequena fenda, não profunda, foi se formando, o sangue sai dela em uma pressa instigante, logo depois veio o ardor, para mim tão reconfortante, parecia que com ele minha dor se ia, minha tristeza era levada junto do sangue que escorregava de meu braço. Sei era loucura, ate mesmo sádico o que fazia, mas era uma forma de tentar fazer a dor que sentia em meu coração sumir. De certa forma eu me punia daquele modo, me cortando.

Havia prometido a mim mesma que nunca mais faria tal ato, mas eu precisava daquilo, eu estava quebrada, destruída, e fazer aquilo me deixava bem. Minha palavras podem parecer sádica a você, mas era minha maneira de aliviar a dor que austin havia deixado em mim.

[...]

Depois de uns dez minutos ali parada olhando os rabiscos das divisórias do banheiro, tentei levantar-me, mas fiquei tonta, senti meus pés fraquejarem, tentei segurar-me mas fui ao chão, e logo fechando meus olhos e deixando o mundo real para trás.



Emma On

- Rob. – chamei-o assim que o avistei saindo do banheiro masculino do ginásio.
- oi pequena.- disse ele selando-me
- viu Ann? – perguntei assim que voltei a encara-lo.
- ela não tinha aula de biologia pratica com você? – perguntou ele confuso.
- sim, mas ela não apareceu.
- aconteceu algo Emma? – ele questionou-me, pois bem Robert conhecia-me bem.
- contei a Annalu sobre a inda de austin. – disse fitando os pés.
- pro que disse isso Emma. – disse ele um pouco enraivecido.
- me desculpe, mas tinha que contar a ela, é o pai do filho dela. – disse nervosa.
- eu sei me desculpa por ter me exaltado. – disse ele me abraçando.
- tudo bem. Rob mas não houve só isso. – disse eu o fitando, me soltando de seu abraço.
- O que mais você disse?. – perguntou ele segurando-me pelos ombros.
- não fui eu, foi o que escutamos.
- o que escutaram?
- uma garota disse que havia beijado Austin ontem e Annalu escutou. – disse por fim. Robert passou a mão os cabelos e suspirou e disse.
- Vem, vamos encontrar Ann. – ele entrelaçou nossas mãos e caminhamos para o prédio onde vi Annalu pela ultima vez.

[...]

- Oh meu deus Robert ela está aqui. – gritei assim que encontrei Annalu desacordada em um dos reservados do banheiro feminino. Rob entrou no banheiro e viu Ann caída, se ajoelhou na frente dela e sussurrou.
- eu vou matar Austin. – Rob segurava o braço de Ann e então pude notar um corte de um notável comprimento com sangue seco que corria do ferimento a um pequena parte do braço, e no chão uma pequena poça de sangue e ao lado do corpo de Annalu um pedaço de vidro. Liguei os fatos e assustei-me com o que conclui, Annalu havia se cortado, ela pretendia se matar?
- pegue as coisas dela, eu a levarei para o hospital. – disse Robert despertando-me de meus devaneios, eu apenas fiz o que ele havia falando.

[...]

- fique com Annalu aqui ate minha mãe chegar preciso fazer uma coisa. – disse Rob.
 - onde você vai? – o questionei.
- irei resolver um problema. – disse ríspido, saindo do hospital sem ao menos despedir-se de mim.

O que será que Robert vai aprontar?

Continua...

A meus deus o que será que o Robert vai prontar??
Comentem quem gosotu..

Obg as lindas que comentaram amo vocês <3

Continua com 5 comentarios.

18 de jun de 2013

Endleyssly Capitulo 6 - As promessas não valem nada...

"Eu apenas queria que você disse que tudo ficara bem."

Austin on

- e o que pretendia fugindo? – disse minha mãe, ela havia vinde atrás de mim.
- eu achei que queria ver Annalu. – disse fitando meus pés, lá estava eu parecendo um criança levando bronca por ter quebrado alguma coisa muito cara.
 - achou? Como assim? Aconteceu algo? – perguntou minha mãe preocupada, eu não sabia o que dizer, como contaria que eu seria pai aos 17 anos?
- não sei como dizer isso. – disse a fitando, ela tinha as mãos na cintura e olhava-me preocupada e curiosa ao mesmo tempo.
- diga logo garoto estou ficando preocupada. – disse ela sentando ao meu lado.
- Annalu disse-me que...- dei um pausa por realmente não encontrava palavras para contar a minha mãe que havia sido irresponsável ao ponto de esquecer de usar preservativo e acabei por engravidar minha namorada, que eu nem ao menos sabia se era ainda namorada de Annalu.
- diga Austin. – disse minha mãe tocando meu ombro.
- eu engravidei Annalu. – disse pondo as mãos no rosto, não queria ver a cara de minha mãe.
- Garoto, você tem noção do que acaba de falar? Diga-me que isso não passa de uma brincadeira.
- tem cara de que estou brincando mãe? – disse a olhando, ela levantou pôs uma das mãos sobre a testa e a outra na cintura andou de um lado para o outro do quarto e murmurava coisas como “Meu deus, o que vai da sua vida agora”, “Você é um irresponsável Austin”.
Ela estava certa eu fora um irresponsável.

Annalu On

- não acredito que Austin disse para você abortar, que desumano. – disse Emma a mim, assim que eu acabara de contar o que havia ocorrido entre mim e Austin, o que ocasionou minha ida a o hospital.
Pois acredite, eu vi tudo, Austin foi um insensível. – disse Robert
- ele agiu do mesmo modo que você. – disse Emma o olhando.
- pensei que tínhamos superado isso. – disse ele a fitando com cara de santo, algo que ele não é.
- é difícil esquecer que você me deixou sozinha e gravida. – disse emma fitando os pés.
- já te disse que sinto muito. – disse ele a abraçando, ela se ajeitou no peito dele e disse.
- eu sei, vou tentar não tocar mais nesse assunto, mas ainda tenho medo de você recuar novamente e me deixar.
- isso não irá acontecer, eu prometo. – disse robert.

Ver robert dizer que nunca deixaria Emma fez-me pensar na promessa que austin fez a mim.

Flashback on

“- eu o amo muito. – disse eu, pondo minhas duas mãos no peito de Austin
- eu também a amo muito. – disse ele acariciando minha face.
- promete nunca me esquecer? – perguntei o fitando.
- isso nunca acontecerá pequena nunca. – disse ele afagando meus cabelos e com o seu belo sorriso no rosto.
- eu nunca vou te esquecer, você foi a melhor coisa que já aconteceu em minha vida. – disse eu deitando minha cabeça em seu peito novamente.
- nem eu a esquecerei minha pequena, você é muito, mais muito importante para mim, eu a amo muito. – ele falou e me abraçou forte juntando nossos corpos ainda nus e um pouco suados fechei meus olhos e logo disse.
- cante pra mim?
- claro minha princesa. – disse ele, e logo o mesmo começou a cantar em sussurros as partes soltas de Favorite Girl, a musica que ele havia gravado um cover e dedicado a mim, a sua garota favorita... Eu logo senti o sono pesando minhas pálpebras a ultima frase por mim ouvida foi “eu nunca a esquecerei minha princesa”, e logo cai em um sono profundo, em sonhos de minha imaginação que sem duvidas eram carregados de Austin....”

Flashback off


E pensar que acreditei em todas essas palavras como se elas realmente fossem verdadeiras, mas vejo que há pessoas mentirosas no mundo, que brincam com os sentimentos dos outros. Não desejo nem ao meu inimigo isso, é horrível se sentir assim, tão só, se sentindo quebrada, com o coração quebrado.

Continua...

Hey princess ai está mais um capitulo espero que tenham gostado. Comentem.

Continua com 5 comentários...

12 de jun de 2013

Endleyssly Capitulo 5 - E tudo se torna tristeza...


"E seus sonhos mais perfeito se transformam em pesadelos por meras palavras negativas."

Annalu on

-sabes que terá que contar a ele. – repetia Robert, pela quinta vez aquela frase.
- eu já entendi, mas estou sem coragem. – disse defendendo-me
- já faz dois dias que Austin está de volta, sabes que ele não ficará para sempre aqui. – disse ele olhando fundo em meus olhos.
- não é fácil. – falei derrotada, jogando-me na cama.
- se quiser posso dizer a ele. – sugeriu Robert.
- não é sua obrigação. – disse, e realmente não era obrigação de Rob, eu é quem devia dizer a Austin que ele seria pai, mas não era tão simples como dizer que estou com fome, era complicado, delicado.

...

- hey pequena. – ouvi a voz de Austin do outro lado da porta.
Segui ate a porta em passos lentos, eu temia ver Austin, pois sabia que tinha que contar-lhe sobre a gravidez.
Abri a porta com o olhar no chão, com vergonha de encarar as orbes verdes de Austin.
- princess. – disse ele agarrando-me e levantando-me do chão.
- calme Austin. – disse entre risos.
Austin largou sua perfeita gargalhada e disse uma pressa que deixou-me tonta.
- sonhei que tinha lhe perdido, foi horrível. – e me abraçou que pensei ate que havia perdido o bebe, e por impulso gritei.
- cuidado com o bebe. – notei o que havia falado com Austin largou-me bruscamente e me encarou serio. Droga, faço tudo erado.
- o que disse? – questionou-me ele.
- não é nada. – disse afastando-me dele
- claro que é, você disse algo sobre um bebe, que bebe é esse Annalu? – perguntou ele fitando-me esperando a resposta.
- é que..- comecei a falar mas fui interrompido por Robert.
- tem certeza que não sabe Austin? – perguntou rob descendo as escadas.
- bom eu não sei. – disse Austin sincero.
- diga-me Austin, você e Annalu transaram não é? – Rob perguntou na cara dura.
Austin demorou alguns segundos para responder mas o fez.
- sim, isso é comum entre um casal. – disse ele calmo.
- então...- Robert deixou a frase solta, vi a expressão de Austin mudar de confusa para surpresa, ele virou-se pra mim e disse.
- Annalu você está gravida?
Eu o fitei por segundo, logo abaixei a cabeça e soltei um quase inaudível “sim”.
- e quando pretendia me contar? – perguntou Austin um pouco alterado.
- logo, mas queria ganhar tempo, você agora tem uma carreira não queria estregar isso.
- estragar minha carreira? Você acaba de estragar minha vida, não tenho nem dezoito anos e vou ser pai. – disse ele desesperado aos gritos.
 - e você acha que isso é normal pra mim? Tenho 16 anos, isso não é normal. – disse já brava.
- você não tem uma carreira a selar. – disse ele
- como pode pensar só em você, eu também estou nessa historia, como ficará minha vida depois dessa criança. – disse olhando-o
- você pretende ficar com ela? – ele olhou-me atônito.
- o que espera que eu faça, que eu a tire? Ela não tem culpa do que fizemos, ela não tem culpa de eu ter sido uma idiota e ter me entregado a você. – eu disse aos gritos, iria continuar, mas uma tontura me atingiu e uma dor forte no ventre logo em seguida.
A escuridão tomava conta de meus olhos e a ultima coisa que ouvi antes de ser tomada pela escuridão foi, Rob e Austin chamando meu nome.

[...]

Meu corpo doía como se um caminhão tivesse passado por cima do mesmo, minha cabeça latejava e eu mal podia abrir meus olhos por conta da claridade que fazia a dor de cabeça aumentar.
Esforcei-me um pouco e abri meus olhos, vi um quarto branco, a luz entrava fraca, rodei meu olhar pelo quarto e encontrei Rob em uma poltrona e ao seu lado Austin de pé fitando a grande janela, eu o observei por segundos e fiquei imaginado onde o meu doce austin havia se metido naquele ser a minha frente, pois o austin com quem eu havia discutido antes de desmaiar não era o meu austin.
- Ann. – ouvi a voz de Rob e logo senti mão tocando meu rosto, eu sorri e disse.
- oi rob.
- fiquei preocupado com você. – disse ele
- você nos deu um susto pequena. – disse Austin pegando minha mão, me soltei dele e disse.
- não finja que se preocupa, e faça um favor sai daqui. – disse firme
- não a deixarei. – disse Austin.
-Rob faça ele sair. – pedi com os olhos já marejados.
- austin..- disse rob, mas deixou a frase solta, austin olhou pra mim e tentou dar-me um selinho desviei meu rosto ele beijou minha bochecha ele se afastou um pouco e sussurrou.
- não vou desistir de você.

Ele caminhou ate a porta e antes de sair olhou-me pela ultima vez e disse baixo.

- I love you little Annalu. – eu o observei percorrer o corredor atrás da janela do quarto, ele andou com as mãos no bolso e de cabeça baixa, me senti mal por aquilo, mas ele não havia sido o meu Austin, quando soube do bebe. Eu intendo que deve ter sido um choque mas precisava me tratar como tratou, como se eu fosse a única culpada daquilo, se ficar gravida fosse realmente um pecado, o que na verdade não era e nunca foi, mas se ele não quer assumir tudo bem eu cuidarei do pequeno ou pequena sozinha, não preciso de Austin, ou acho que não.

Continua...

Hey desculpa a demora estava ocupada com o colégio, estudar o dia todo não é legal :(.
Mas prometo não demorar :)

Continua com 7 comentários...