27 de out de 2014

Hellow Ladies...




HEY!

Bem, não trago boas notícias. Depois de pensar e pensar, ficar dois meses sem postar nada, falar com a Naiéle.... Eu decidi sair do Blog.

Me desculpem, mas não ta dando! As meninas pararam de ler a minha Fanfic! O que aconteceu? Antes, tinhamos muitas visualisações e eu estava realmente muito feliz com o Blog! Mas, aconteceram muitas coisas ( eu acho que não só comigo) e bem....

Isso é um Adeus.

Eu não queria. Mas vou ter que ir. O Anime é muito bom, eu consigo postar minhas coisas lá e Believe In Love já está no capitulo 11 lá. Eu não fui injusta. Só foi melhor pra mim postar lá, e ficar postando nos dois lugares ao mesmo tempo não dá certo.

Me desculpem novamente. Eu vou deixar o link do meu perfil do anime, quem tiver conta lá, adiciona lá, manda menssagem, e-mail, comentário, linguagem de sinais, menssagem de fumaça. Enfim, quem tiver conta acessa esse link aqui óh ::

---> http://socialspirit.com.br/bih_bieber <---

Se não tiver conta, não tem problema. Dá pra ler e acompanhar a fanfic do mesmo jeito (eu fazia isso antes de entrar no Anime) bem, se vocês quiserem né?! Logo eu vou começar uma outra fanfic lá também. Tenho uma "Fanfic" de imagines. O Anime abriu várias portas para mim. Se eu continuasse apenas e exclusivamente no blog eu ficaria presa nas duas ou três temporadas de Believe In Love e outra fanfic do Austin. ( que por sinal eu fui no show *o* perfeitamente gostoso)

Sem ressentimentos. Espero vocês lá, porque eu amo muito vocês! Eu comecei com esse blog e eu nunca vou esquecer da Julie que sempre comentava e tentava entender minha pessoa louca, da Sarah que eu conversei um pouco pelo Chat do Google+ (e que agora ta sumida) e de todas as minhas leitoras diwas desse blog <3 QUANDO EU DIGO TODAS EU ME REFIRO À NAIÉLE TAMBÉM!!! O que seria de mim se ela não tivesse uma fanfic tão diva que me chamou atenção como The Only Exception (musica dos divos do Paramore)

E ESPEREEEM!!! Eu não vou embora sem antes deixar uma cartinha pra vocês!!

Caham, vamos lá :

" 'Oi, meu nome é Bianca Bertolani da Silva Gama, tenho 12 anos e sou a nova escritora do blog! Espero que gostem de mim e da minha fanfic, Nothing Feels Like You.' Quem lembra disso levanta a mãozinha, ninguém? okay. Geeeente. 1 ano já, né? Eu infelizmente estou deixando essa família "Oh My Austin, Fics" que ficou tão marcada em mim. Eu lembro de quando eu fui procurar minha primeira fanfic com o Austin, foi quando eu vi no topo da pesquisa "Oh My Austin F..." eu fiquei curiosa e cliquei. Me apaixonei de primeira, li toda a primeira e segunda temporada de The Only Exception (acho que a Naiéle lembra quando eu adicionei ela no face kkk)
Eu me apaixonei pela Annalu, pela história e pela fanfic em si.Eu passei noites em claro lendo e lendo todos os capítulos. Ai eu cheguei no quase final da segunda temporada e comecei a comentar. Foi uma benção quando, numa tarde quando eu cheguei da escola e entrei no blog pelo celular, eu vi que ela precisava de novas escritoras. Eu fiquei eufórica, mas infelizmente não consegui mandar o e-mail. Ai, de noite, no mesmo dia, eu entrei no face pra ficar fazendo nada mesmo e vi a Naiéle on.
Eu pensei "É agora ou nunca" ai, eu comecei a conversar e cheguei ao ponto. Falei que não tinha conseguido enviar um e-mail e mandei a sinopse de Nothing Feels Like You pelo inBox. No dia seguinte, ou um tempinho depois eu entrei pelo celular de novo e vi a mensagem"Hey! Você foi aceita no blog, eu adorei a sua ideia da fanfic e te mandei um e-mail, boa sorte!" Juro que surtei na hora. Sem saber o que fazer eu tentei de todos os jeitos entrar no blog, nada. Ai uma luz me veio e eu entrei correndo no meu e-mail aceitei o pedido e BUM! Estava no blog. Postei, brinquei com vocês, conheci um monte de gente muito legal. Teve algumas meninas que até me adicionaram no face! Ai tudo bem, foi indo, com altos e baixos. Nothing Feels Like You chegou ao fim e eu dei um tempo. Foi aí que eu comecei a fazer outras coisas, mudar a minha escrita e tals. E agora estamos aqui. Nesse maldito adeus, porque eu estou indo embora, mas vou levar tudo o que aprendi comigo, guardado no meu coração cada uma de vocês.
 Pra sempre
. Xx Bih"

E ai? Curtiram?:'( Me desculpem mais uma vez....

Eu amo muito vocês!!

Até quando vocês puderem entrar no Anime...
Xoxo Bih_



23 de ago de 2014

Believe In Love, capitulo 6 - Idiot




"I wish I could wake up with amnesia, and forget about stupid little things."
5 Seconds Of Summer- Amnesia.


        Me viro lentamente para o ser atrás de mim, encontrando quem eu menos queria.


        - O que você quer Tyler?- digo o encarando com os olhos semicerrados.

        - Wow! É assim que recebe um velho amigo da família?!- ele responde com um sorriso irônico na cara

        - Olha, não sei o que você quer, mas aqui não é o lugar certo para conversarmos.- digo bufando enquanto ele sorri vitoriosamente.


        Levo ele até um dos escritórios do andar de cima, pelo menos lá eu posso me defender melhor, além dos seguranças espalhados pelo andar.


        - Agora me diga, o que quer?- pergunto me sentando na cadeira.

        - Sabe, eu estava andando pelas praias de Miami e decidi vir visitar minha amiga.- diz andando pelo escritório.

        - Não enrole Lewis.- vocifero já sem paciência.

        - Só vim avisar que talvez seu pai precise de ajuda algum tempo desses, mas é claro que como uma boa filha  você vai ajuda-lo, não?- diz irônico.

        - O que você quer dessa vez?- digo me levantando, pronta para meter bala se ele não responder logo.

        - Eu? Eu não quero nada.- diz se fazendo de desentendido, caminha até a porta.- Bem...- ele abre a porta.- Ainda, não quero nada.- diz por fim e vai embora.

        - IDIOTA!- grito tacando a primeira coisa que vejo na frente na porta.



        Tyler Lewis definitivamente me tira do sério. Me sento novamente na cadeira e apoio a cabeça entre as mãos, o que ele quis dizer com aquilo? Meu pai precisando de ajuda?! Ainda mais minha?! Não, definitivamente, não.


 
         - Ei, o que aconteceu?- Levanto a cabeça encarando David na minha frente.

         - Lewis.- suspiro e passo a mão pelos cabelos.

         - Quem?!- ele pergunta se sentando na minha frente

         - Sério que nunca ouviu falar de "Tyler Lewis"?- pergunto olhando-o incrédula, ele apenas nega com a cabeça.- Bem, é uma longa história...

         - Tenho todo o tempo do mundo.- ele exclama sorrindo, bufo e me ajeito na cadeira.


         Isso vai demorar bastante.


             xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Heeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeey!!
Que milagre, não? Eu volteeeeeeeeei u-u
Esse cap já tava pronto há um tempinho (pq eu tava postando no anime tbm, se quiserem ver, ta aqui) E eu resolv postar, já que vocês não chegaram ao número que eu pedi de comentários... MAS como eu sou muito legal eu postei u_u
Espero que gostem e tals... Ta um cú mas ok.

3 Comentários, ok?
Xx Bih_

1 de ago de 2014

Hey Amouras :3




             Hey peoples of my heart! (oii pessoas do meu core, pra quem ñ fala inglês u_u) Bem, vocês devem estar se perguntando "o que essa louca ta fazendo aqui? Sem capitulo?" Pois é minha gente, eu to muito mal mesmo. "Mas então porque não vai no médico?" Bem, essa dor não é médico que resolve, se resolvesse eu já estaria super mega bem, acreditem.

             "Ta, e o que faz aqui?" Bem, eu estou aqui só pra avisar que me deu a louca hoje e eu apaguei TODAS as minhas fanfics do Anime (tenho uma conta lá) e até mesmo do meu blog, que tava paradão. Enfim, eu fiquei com receio de apagar Belive In Love ou até mesmo sair do blog. Mas ai eu pensei "Seria injusto com as meninas" "Estou pensando em mim mesma" bem, é o que venho fazendo há muito tempo. Pensado em mim mesma e em mais ninguém.
           
                E isso acaba comigo.    

               Bem, vocês devem estar pensando que estou fazendo um drama e essas coisas, mas só quero que entendam que eu estou realmente muito mal, com tudo. Não é só com as Fanfics, que em minha humilde opinião, Belive In Love ta um cú, sem mais. E além do mais, eu to muito chateada porque ninguém comenta, poxa pessoal, eu to me esforçando muito pra ligar a história com o que eu quero e vocês não colocam nem um "continua"? Eu sei que teve umas meninas que se justificaram e mesmo eu estando triste eu entendo, entendo mesmo. Então me desculpem à essas meninas que se justificaram, vulgo Julie, e me desculpem às meninas que tem acompanhado a B.I.L ~Believe In Love~ desde o começo.

              Agradeço de coração a toda vocês por comentarem desde o comecinho de Nothing Feels Like You, que parece tão distante agora. Mas, peraew, isso aqui não é um "Adeus" nem nada disso. Eu só estou falando que vou dar um tempo, não sei quanto tempo, mas poderá ser muito. Espero passar por isso rápido e vou escrever os capitulos, porque a criatividade está a mil e talvez até dê tempo de postar algum capitulo antes das provas. Mas, só estou deixando BEM AVISADO que talvez eu fique bastante tempo fora, ok?

               E... Bem, é isso. Espero que entendam o que está acontecendo e tudo mais. Minha vida está uma bagunça, realmente, me desculpem por desabafar desse jeito, mas como começou com as fanfics e meu desapontamento com a minha escrita eu resolvi avisar, não quero morrer tão cedo >< e só. Eu acho.

              Enfins, beijos no core de vocês e até sei lá quando.

              P.S.: Acho que posto o capitulo 6 essa semana se o 5 atingir os comentários que eu pedi,ok?
              P.S.:² Agradecendo vocês por me acompanharem, de novo.
              P.S.:³ Vocês são muito importantes para mim; então, por favor, não me abandonem!  
    
               XOXO Bih  

                 

29 de jul de 2014

Believe In Love, capitulo 5- Party and Bullshit


''Are you feeling naughty?
(...)
A party without me
Let me see your fucking hands!'-  Ain't a Party, David Guetta (Feat. Harrison)




 - Algumas semanas depois -



         Após a "acusação" de Austin e o -quase- desastre que aconteceu no meu escritório ele não deu mais as caras, talvez tenha tomado vergonha na cara e percebido que eu não havia feito nada. Acho melhor assim, distância é sempre bom. Alguém bate na porta me tirando de meus devaneios.




          - Entre Somers.- digo me arrumando na cadeira


          - Como sabe que sou eu?- pergunta fechando a porta atrás de si.


          - Porque, ao contrário de Kayle ou Karina, você é o único que tem educação e bate antes de entrar.- digo e ele ri.- Agora me diga, David, o que te trás ao meu escritório duas horas antes de seu horário de trabalho?- pergunto colocando meus pés em cima da mesa


          - Bem, eu vim avisar que sua nova boate fica pronta hoje e a estreia também é hoje e bem, eu não tinha nada pra fazer mesmo.- dá de ombros e se joga no sofá que fica do lado da porta


          - Você nunca tem nada pra fazer, David.- Karina debocha entrando sem avisar.


          - Lembra o que eu disse, Somers?- pergunto e eles me olham desentendidos- Você é o único que bate na porta.- debocho e Karina me fuzila.


          - Opa, então deixa eu voltar e bater na porta.- Kayle diz indo pra fora de novo.


          - Entra logo seu idiota!- Karina diz e ele entra de novo.


          - Vocês deviam bater na porta antes de entrar, porque a Evelyn tem armas em todos os lugares do escritório.- David diz 


          - E ela pode estar trepando com alguém também.- Karina debocha e os três começam a rir.


          - Ou ela pode estar dormindo, ai sim ia ser divertido.- Kayle diz com a língua entre os dentes e eles começam a conversar.


          - Mereço...- sussurro e procuro minha 38mm nas gavetas; tenho que arrumar isso aqui, penso quando encontro-a no chão, toda empoeirada; e limpar também, concluo e aponto a arma para o teto, vai fazer um estrago, mas foda-se. 



          Dou três tiros pra cima e eles me olham assustados.



          - Sorte não ter sido na cabeça de vocês.- digo dando um sorriso irônico


          - Você não é capaz de matar nem uma mosca.- Karina debocha se sentando ao lado de David


          - Quer testar?- pergunto apontando a arma para ela.



          - Não obrigada.- diz cínica me fazendo rir.- Ta, agora porque me chamou aqui?



          - Bem, eu ia pedir pra você ir ver as vadias que chegaram na boate nova, mas a Clary que se resolva lá porque hoje é a estreia. Bem ainda dá pro Kayle ir ver os carregamentos de maconha pros estoques de lá, certo?- pergunto e ele assente saindo.- Bem, como hoje é a estreia, seria uma falta de ética a dona dessa porra todo não ir, não?



           - Hum, entendi. Agora você vai querer que eu te ajude com uma roupa fodástica porque você é "Evelyn Fox, a dona das maiores boates de Miami"- diz imitando minha voz, reviro os olhos e me levanto.



           - Vamos logo idiota.- digo empurrando ela pra fora.- TCHAU SOMERS!- grito já descendo as escadas e não espero a resposta.




 . . . 

   


           Estaciono o carro do lado de fora da boate e desço do mesmo colocando a arma no coldre em baixo do vestido. Karina sempre diz que eu sou exagerada por estar sempre com uma arma, porra, eu sou a dona das maiores boates de Miami, tenho que estar armada sempre. Quando entro na boate, todas as atenções vem diretamente para mim, sorrio com isso e vou até o bar.



          - O que vai querer moça?- o barman pergunta


          - Uma vodka, pura por favor.- digo e ele me olha meio assustado.- O que?- pergunto rindo de sua cara.


          - Bem, normalmente as garotas pedem Martini , Vodka com alguma coisa ou Coquetéis e coisas do tipo.- Ele diz virando-se para pegar minha bebida e dá de ombros.


          - Acho que dá pra perceber que não sou uma garota normal.- digo levantando uma parte do vestido mostrando o coldre com a minha 38mm, ele me olha mais assustado ainda e eu rio da sua reação.- Calma ai bebê, não vou te machucar. Evelyn Fox é boazinha com os bonitinhos.- digo irônica e dou uma piscada pra ele.



           Saio do bar com a minha Vodka em mãos e subo para a área VIP, deixo minha bolsa em um dos sofás e desço novamente para a multidão, viro o copo em um gole só e deixo ele em algum canto voltando a dançar.
       

           Começa a tocar David Guetta & Showtek, Bad; eu começo a dançar conforme a batida depois do refrão. Todos ao meu redor me olham, mas não estou nem ai para eles, a boate é minha e eu posso dançar como eu quiser. 


            Logo a música troca e começa a tocar Martin Garrix, Animals; começo a pular com todos ao meu redor conforme a batida contagiante. Paro um pouco e vou até o bar e peço outra Vodka, parando para beber e observar a minha linda boate, fizeram um belo trabalho, tanto em decoração como no resto; quando der meia noite as dançarinas/putas saem e o lugar fica em um clima mais sexy, perfeito para quem quer curtir antes da virada da noite e perfeito para dançar depois da virada. Simplesmente perfeito.



  . . . 

     

             As dançarinas já estavam em seus postos, isso tudo vai bombar quando elas entrarem no palco. O que não demorou muito, pois logo começou a tocar Low, Flo-Rida feat. T-pain. Sorrio quando elas começam a entrar e dançar no ritmo da música, sedo aplaudidas e gritadas por todos -homens- da boate.  


              Me junto com a multidão - novamente- para dançar no ritmo da dança. Mas logo trocam a música para Partition, Beyoncé; eu simplesmente amo essa música. Começo a dançar conforme a música, sensualmente e atraindo olhares de todos os homens, sorrio com o resultado e sinto alguém segurar minha cintura. Continuo dançando sem me importar com a pessoa atrás de mim, seja quem for, dança muito bem.



              - Você dança bem, pequena.- o homem sussurra em meu ouvido e eu congelo, não pode ser. 

.  .  . 

Heeeeeey Girls!! 
Bem, pra começar... Quem será? Hein? FAÇAM SUAS APOOOSTAAS!! 
KayleKayle² e o DavidDavid²  
Bem, eu não coloquei eles junto com os personagens por dois motivos :
1°- Eu tava com preguiça de colocar todos os personagens
2°- Eu não tava com preguiça porra nenhuma, só pensei em coloca-los na história quando comecei a escrever o capitulo 3 :v
Pois é.
Enfim, OH MEU DEUS VCS NÃO ME ABANDONARAM!! Sério pensei que estava escrevendo para fantasmas ai, numa bela noite de domingo (eu acho) eu entrei pelo cel no blog e "4 COMENTÁRIOS" *w* vcs são DE MAAAIS :3 e podem falar que sabem, eu deixo u_u ENTÃO, oq acharam do cap? beeem, eu demorei muuuito pra escreve-lo e to com a bunda quadrada de tanto tempo que fiquei aqui na cadeira em frente o computador '-' . psé.
E trago boas novas! Ta, não são boas. Só quero deixar avisado que vai começar a esquentar no próximo capitulo.
Enfim, comentem por favooooor :3 
obg dnd u_u 
Acho que é isso.
Ah, a partir de semana que vem eu não sei se vou conseguir postar frequentemente ok? Por que minhas aulas voltam essa quinta e dia 20 tem prova :/ ENTÃO não fiquem bravas comigo por favooor :3 <3

AMO MUUUUUUUITO VCS!!! beeeeeeijos

5 comentários, blz? 
:* 
        

24 de jul de 2014

Believe In Love, capitulo 4- Threats & Explanations




"It's too late to apologize"- Apologize, OneRepublic

 
      - Claro que você é a chefe, por isso estava te procurando.- ele diz sussurrando também

      - O que quer Mahone?- pergunto me afastando e cruzando os braços.

      - Quer mesmo conversar aqui?- pergunta debochado, estreito os olhos e peço para ele me seguir.



      Adentramos o meu escritório e eu me sento na minha cadeira, ele senta na ponta da mesa.



      - Ainda existem cadeiras.- digo, mas ele apenas ignora.- Ok, o quer me falar?

      - Só quero deixar avisado que você não vai conseguir me tirar do topo, então nem ten...

      - Perai, você acha mesmo que eu to nessa por sua causa?- interrompo ele rindo, mas ele continua sério.- Oh meu Deus! Sério isso Mahone?- digo rindo mais.

      - Não foi o que me disseram quando você roubou meus carregamentos de drogas, ou acha que eu não sei?- pergunta vindo em minha direção.- Você não me engana, Fox, eu tenho nojo de você.- cospe as palavras me encurralando na cadeira

      - Não foi o que você disse a quatro anos atrás.- retruco com raiva

      - Eu estava drogado aquele dia!- retruca se afastando e passando as mãos pelos cabelos

      - Ah claro, me diz uma novidade!- digo debochada e o encaro com raiva- Nada do que você disser vai me fazer mudar de ideia sobre você.

      - E o que eu fizer?- sussurra, mas antes que eu possa dizer algo ele me encurrala na parede mais próxima.


   
      E sem avisos ele pressiona seus lábios nos meus, tento me afastar mas ele me segura e acabo me rendendo ao beijo. Percebendo o que está começando a acontecer o empurro com todas as forças restantes, mesmo relutante.



      - Nada do que você fizer ou disser vai me fazer mudar de ideia, Mahone.- digo limpando a boca- Nada.



       (...)



      Volto para casa pensando no que aconteceu no escritório, ou o que quase aconteceu. Droga, Mahone! Por que tem tanto efeito sobre mim? Saio do carro bufando e aperto desesperadamente o botão do elevador. Paciência, Evelyn; penso; Vai ficar tudo bem. Chego no meu apartamento e me jogo no sofá.



      - Preciso de um banho...- murmuro fechando os olhos com força

      - Mamain?- ouço a voz fininha de Becca e sorrio automaticamente

      - Oi, meu amor!- me sento no sofá pegando-a no colo logo em seguida.- Como foi a escolinha?

      - Foi bein, mamain, foi bein.- ela responde.- Tava tum saudadi.- Diz me abraçando

      - Eu também, meu amor.- digo me levantando com ela no colo.- A mamãe vai tomar um banho e a gente assisti um filme, que tal?

      - Eba!- comemora saindo do meu colo.- Barbie?- pergunta sapeca

      - Barbie.- afirmo sorrindo e ela sai correndo pegar o filme.


      Nada como terminar o dia sem stress.


                                                               ******************


HEEEEEEEEY!

Bem, não tivemos 3 comentários mas cá estou eu! Bem, obrigada às meninas que comentaram e deram opinião! <3 muito mesmo.
Bem, vamos a alguns avisos :

- Minhas aulas começam dia 31 desse mês :c pois é, então nada de capitulo durante a semana.
- Nesse final de semana eu NÃO estarei em casa, então não sei quando posto novamente.
- No segundo ou terceiro sábado do mês que vem recomeçam minhas aulas de violão, ou seja, a partir dai capítulos só nos domingos
Acho que só, espero que entendam <3

Amo vcs! Comeeeeeeeentem, poooooor favoooooooor <3 :3 

Continuo com 4 comentários ~dessa vez é sério~

15 de jul de 2014

Believe In Love, capitulo 3- BO$$



              Ando mais alguns metros até sentir alguém me segurando pelos braços. O desespero toma conta de mim e tento me soltar, mas a pessoa me segura mais forte.


              - Ei! Eve! Calma!- quando ouço aquela voz, apenas me jogo em seus braços

              - Pensei que estava morta...- Sussurro enquanto Karina me aperta contra seu corpo

              - Mas não estou, eu estou aqui... Pra você, pra te ajudar...- ela diz e se solta de mim- Precisamos ir, tem uma praia aqui perto... Bem, é claro que tem uma praia aqui perto, estamos em Miami

              - Não é hora para piadas, por favor Ka.- digo enquanto sigo ela, provavelmente em direção à praia.


             Enquanto caminhamos, consigo observar que ela já não está mais com a roupa que viemos.


             - Ka... Onde arrumou essa roupa?- pergunto diretamente, não gosto de enrolações. Ela não responde e dá de ombros- Karina Stefanie Groover, o que você andou fazendo?- pergunto já extremamente brava e a seguro pelo braço.

             - Se você esperar um pouco, você descobre!- exclama se soltando de mim


             Bufo e continuo seguindo-a, estou cansada e minhas pernas doem muito. Quero simplesmente sentar em algum canto e tentar tirar a dor de mim. Maldito Austin, se um dia eu ficar de frente com ele novamente... Acho que mato ele na porrada.


             - Chegamos!- Ka me tira dos meus pensamentos, eu encaro a casa/mansão na minha frente

             - Mas, essa não é a casa de praia do meu pai?- pergunto com a testa franzida

            - Bem... É, mas... Ele não esta em casa, não esses dias. Ele estava te procurando...- ela responde

            - Ele? Nick Fox?! Estamos falando da mesma pessoa?- pergunto pra ela, que revira os olhos- E não me venha com "ele é seu pai e se preocupa" porque você sabe que ele não se preocupa! Como é que ele disse antes de pagar minha faculdade? "Nick Fox não tem filha"?- resmungo e ela fica quieta.


            Entro na mansão pela grande porta da frente mesmo, essa casa é metade minha também. Ninguém na sala, silêncio total. Ninguém em casa; sorrio e subo as escadas, diretamente para o meu antigo quarto, indo diretamente para o banheiro.

         
            - Tudo bem, Eve?- Karina me pergunta enquanto fecho a porta do banheiro

            - Sim!- Exclamo de dentro do banheiro- Só vou tomar um banho.


           Arranco a roupa suja e rasgada, vai diretamente para o lixo, essa roupa não tem mais salvação. Entro de baixo do chuveiro e ligo o registro, sentindo a água quente levando todas as preocupações embora; meus cortes ardem de leve, mas uma dor suportável. Pela segunda vez desde que me sequestraram deixo as lágrimas tomarem conta de mim. O medo não é tão grande agora, consegui fugir, consegui sair daquele inferno! Finalmente posso continuar minha vida.


            QUATRO ANOS DEPOIS

           Só de lembrar das coisas que passei naquele maldito galpão, tenho vontade de chorar e mandar Austin Mahone pro inferno. Depois de quatro anos com traumas, cicatrizes e, bem... Uma filha, eu consegui dar a volta por cima e pretendo me vingar. Rabecca, "nossa" filha, não tem nada haver com essa rincha. É apenas uma criança de três anos que não tem culpa do "pai" irresponsável que tem, mesmo eu tentando negar, ele também "ajudou" em faze-la; ela tem os mesmos olhos verdes dele, o que me faz lembrar de quando eu tinha medo deles, ainda tenho, mas consigo controlar. Depois de quatro anos eu consegui entrar para esse mundo filha da puta do crime, tive que largar a faculdade por causa de Becca, mas não me arrependo, mesmo sendo meu sonho ser psicóloga, não que ser dona das boates mais badaladas de Miami seja ruim. É bom sentir o poder sobre os outros, ver o medo em seus olhos quando se referem a mim. É no mínimo divertido.

            - Senhorita Fox?- alguém me tira de meus devaneios, olho para a porta e David está esperando a permissão para entrar

            - Não enrole, Somers!- resmungo enquanto ele entra e se aproxima da minha mesa

            - Bem... Tem um homem querendo falar com você.- ele diz sem enrolações, David é um homem bom, não deveria estar nesses negócios. 

            - Mande entrar, oras!- exclamo com tédio

            - Ele quer falar com você, mas... - ele para de falar e eu me levanto- Lá fora.- aponta para a porta.


            Bufo impaciente e desço as escadas, indo diretamente para o bar da boate. Observo o local com um sorriso vitorioso no rosto, gosto do meu trabalho e de seu resultado.


            - Seria bom se esse cara aparecesse logo...- murmuro impaciente e peço uma Vodca pura.

            - Procurando por mim, princesa?- ao ouvir essa voz quase engasgo com a bebida, sinto a risada fraca em meu pescoço

           - Filho da puta...- murmuro e ele ri outra vez

           - Pensei que ficaria feliz em me ver.- ele me vira de frente para ele e me encara com um sorriso debochado no rosto.

           - Ah, claro. Mas seria melhor ainda vê-lo dentro de um caixão.- digo com raiva e ele ri da minha cara- O que? Tenho cara de palhaça agora?

           - Não, mas você é divertida! Não me lembrava do quanto.- ele continua com o sorriso debochado no rosto- Mas, tentar me derrubar será mas difícil do que construir algumas boates.

          - E quem disse que eu quero te derrubar?- digo estreitando os olhos

          - Ninguém, gosto de observar as pessoas as vezes... Aliás, bela filha.- ele diz

          - Não encoste nela Mahone!- exclamo apontando o dedo em seu peito.

          - Não me diga o que fazer Fox, você não é minha mãe. E eu nunca mexeria com crianças, nem mesmo com Rebecca Fox, ela não tem culpa de ter uma mãe vadia como você.- após dizer todas aquelas coisas minha mão voa para seu rosto que vira com a força do tapa.

         - Acho melhor me respeitar Mahone.- digo em seu ouvido- Eu sou a chefe aqui.


~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~ 

HEEEEEEEY COMO ESTÃO?? Eu to bem, obg por perguntar y-y
Desculpe se eu demorei, desculpe também pelos palavrões do capitulo. Mas eu avisei que a fic iria ser forte, cada um sabe o que lê!!
enfim, oq acharam? Não comentem só um "continua" coloquem a opinião de vocês, o que vocês acham que vai acontecer e tals... 
Deem ideias para que a fic fique melhor (que, modéstia à parte, não tem como ficar melhor, zooooas) Meninas, onde vcs estão? Não vejo mais a Julie por aqui, cade aquelas meninas que comentavam sempre?? Anônimos deixem o nome pfvoooor!! <3 espero que tenham gostado!!! 
<3
Comenteeeeeeeeeeeem
   Continuo com, pelo menos, 3 comentários! 
Bjkas, amoooooooooooo vocês!!!
 

3 de jul de 2014

Believe In Love, capitulo 2- Afraid



                                         Evelyn narrando

       Acordo com algo sendo jogado em meu rosto. Água gelada. Tento me mexer, se sucesso. Estou amarrada em uma cadeira velha de madeira, em um lugar sujo e imundo.


        - A princesinha acordou- uma voz fala ao meu lado, viro meu rosto e vejo um homem mexendo em algumas ferramentas e outro apenas encostado na mesa. 


        Olho em volta. Não há saída além de uma grande porta de madeira. A pouca luz que entra no local vem das frestas que existem no teto. Estamos apenas nós três no local. 


        - Onde está Karina?- minha voz sai mais fraca que  normal, o homem que está apoiado na mesa da uma risada e vem até mim

        - Ela não nos interessa... Além do mais, estava machucada.- diz indiferente

        - O QUE FIZERAM COM ELA?- grito avançando em sua direção, o que não da muito certo, porque eu estou amarrada.

        - Calminha ai princesa- diz se aproximando de mim e agachando em minha frente

      - Não me chame de princesa!- digo e cuspo em sua cara.

      - Você é rebelde, princesa.- diz rindo amargamente enquanto limpa o cuspe.


       Ele se levanta e vai até os instrumentos, provavelmente de tortura, em cima da mesa. 


        - Bem, sua rebeldia terá de ser punida.- diz se aproximando de mim com uma faca na mão- Tão bonita...- ele sorri maleficamente e passa a faca em minha bochecha, abrindo um pequeno corte na mesma.

  
         Arfo de dor e sinto o sangue escorrer pelo meu rosto e pingar na minha roupa.


         - Desgraçado...- sussurro quando ela passa a faca de novo na minha bochecha


          - O que você disse princesa?- pergunta pressionando a faca no meu braço

          - Desgraçado!- digo mais alto para ele poder ouvir.


          Ele afunda mais a faca em meu braço e desce ela até meu cotovelo. Grito de dor. Ele se afasta de mim e coloca a faca de volta na mesa


          - Acho que já aprendeu não é?- diz se aproximando de novo- Bem, amanhã eu volto... Princesa.


           Ele e o outro homem saem pela porta de madeira, me deixando sozinha. Amarrada e sangrando.


           - Duas semanas depois - 


            Nas duas semanas que se passaram, foram as mais sofridas da minhas curta vida.  Austin costuma vir e me torturar para tirar informações que eu nem sabia que possuía. Ele nunca disse seu nome, apenas descobri por uma conversa que ele e seu amigo estavam tendo. Sempre vou lembrar daquele dia, foi quando eu descobri que eles mataram Karina.

  
            " - Austin, os caras falaram que tiveram de jogar a outra num rio...- um homem entra enquanto "ele" me faz cortes pelos braços.


            - COMO ASSIM?- ele grita parando o que estava fazendo- COMO DEIXARAM JOGA-LA NO RIO?

            - Calma Austin! Falaram que a garota estava mais pra lá do que pra cá! Eles tiveram que sacrificar! Provavelmente deve ter se afogado em alguma parte! Fica calmo.- o homem termina de falar e olha pra mim, ele sorri- Acho melhor dar a notícia pra ela- diz por fim e sai pela grande porta de madeira.

            - Q-que notícia?- pergunto com a voz rouca por falta de água.

            - Sua amiguinha teve um fim trágico. Como será o seu logo.- diz amargamente e sai pela mesma porta.

   
            Karina, morta? eu nem mesmo sei porque estou nesse lugar imundo e agora eles matam minha amiga? Se eu conseguir sair desse lugar eu vou matar um por um. Deixando "Austin" por último "


             Depois desse dia ele só veio até mim para me tirar da cadeira e me jogar em um colchão velho que tem no fundo da sala. Em alguns momentos do dia alguém vem para me dar um copo de água, o único momento que eu vejo a luz do Sol ou a Lua, depende do horário que se lembram de mim. Hoje vieram de manhã.

   
               A porta se abre rapidamente e alguém capenga para dentro.


               - Princesa?- essa voz me faz levantar os olhos até a pessoa, que cai de joelhos.

               - Austin?- sussurro, mas ele não ouve

               - Não precisa se esconder princesa.- ele se levanta e vem em minha direção.- Eu não vou te machucar.


              Ele tenta me beijar, mas eu me afasto. Ele cheira maconha e álcool. Ele consegue agarrar minha cintura e me joga no colchão de novo. Tento me debater, o que é quase impossível. Mesmo drogado e bêbado ele é muito mais forte que eu. 


              - Quietinha, se não vai ser pior- ele diz tirando o cinto.

              - Austin, não...- começo a dizer mas ele me da um tapa na cara.

              - Eu falei quieta!- ele diz visivelmente irritado


              Eu me calei e deixei acontecer. Devia impedir, mas seria pior pra mim. Segurei as lágrimas e os gritos o máximo que pude enquanto ele entrava e saía sem dó. Quando finalmente senti que ele estava aliviado, me encolhi ao máximo longe dele. Ele se levantou fechou o cinto e saiu capengando para fora.


              Eu me entrego as lágrimas e ao sentimento de medo, quero correr e me esconder. Mas não tenho para onde correr.


             (...) 
       
  
             Sinto os raios solares da manhã, estranho e abro os olhos. A grande porta de madeira está aberta, sem ninguém por perto. Uma felicidade cresce dentro de mim e arranjo forças para sair daquele lugar horrível. 


             Quando o Sol entra em contato com a minha pele, me sinto viva. Corro o mais rápido que consigo, minhas pernas ainda doem muito.


             Depois de duas semanas presa naquele lugar, posso finalmente recomeçar. 


~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~ 

HEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEY!! \ o /

Tudo bem com vcs?? bem, eu queria me desculpar por ter demorado e tals... tava de castigo :s 
Sorry a demora. Não vou falar muito... 
Comentem!
+4 comentários... 

Bjks, amo vcs <3


       
       



8 de jun de 2014

Believe In Love, Capitulo 1- Prólogo





  Evelyn Narrando



          Acordo com o Sol batendo no meu rosto e o barulho irritante do despertador.

           5:30A.M; Hora de ir pro colégio Evelyn.

           Me levanto com preguiça e vou até o banheiro. Lavo meu rosto para despertar e ando bocejando até a cozinha do apartamento.

            - Bom dia Ka- Digo me sentando ao seu lado na mesa

            - Bom dia Eve- Fala sorrindo, como ela consegue ter tanto humor de manhã?- Hoje você tem alguma prova ou teste?- pergunta olhando pro jornal, dou de ombros

            - Espero que não- Digo me levantando e voltando pro quarto.


    (...)


5 de jun de 2014

Nova Fanfic- Believe In Love


Sinopse :

   Amor ou Obsessão? 
   Ela, uma simples estudante.
   Ele, o dono do crime.
   
   Será que ela pode muda-lo?
   Será que ele realmente ama?



Personagens :

  
  Evelyn Fox, 17 anos; estudante de psicologia

  Karina Groover, 18 anos; estudante de medicina

  Austin Mahone, 21 anos; gangster de Miami

  James Harris, 22 anos; gangster de Miami

  Tyler Lewis, 35 anos; gangster de Las Vegas

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Heeeeeeeeeey \ o / 

Girls, voltei! E pra ficar! Bem, essa nova fanfic eu vou começar a postar essa semana... Eu refiz ela umas 500 vezes, até pensei em não faze-la e deixar o Blog... Mas, eu AMO escrever pra vocês <3 então eu acabei com essa depressão e continuei aqui. Essa Fanfic vai ser meio pesada, não por ser criminal e tals... Mas também por que eu escrevi ela com a cabeça totalmente conturbada, até que ficou bem legal... Espero que gostem, não xinguem e comentem! 

Se tiver 3 comentários até de tarde eu posto! bjks














3 de jun de 2014

Every Thing About You Capitulo 12 - Many Problems


O meu salvador, continuava a distribuir golpes pelo meu quase estuprador, mas por um momento ele parou, respirou fundo e virou-se para mim e então puder ver o rosto do rapaz que me salvará, era...Austin, o mesmo ofegava e olhava para mim, não sabia descifrar sua feição, não sabia se era preocupado ou zangado, não sei. Ele começou a caminhar em minha direção e assim que estava em minha frente perguntou.
- você está bem? quer dizer aquele idiota te machucou? 
Eu suspirei e corri para os braços de Austin, eu até me surpreendi com meu ato, mas eu estava assustada demais para lembrar que eu o odiava, eu apenas queria um abraço, um ombro onde eu pudesse chorar, eu apenas queria conforto, ainda mais depois do que tinha ocorrido. Austin por um curto tempo ficou sem reação, mas logo abraçou-me enquanto afagava meus cabelos, nenhum dos falava nada, o único som escutado era do meu choro que eu inutilmente tentava cessar.

[...]

11 de mai de 2014

Last Kiss- Imagine






               -S/N Narrando- 


      Mais uma vez tudo foi para baixo da descarga. Me levantei e me olhei no espelho. Olheiras, boca seca, descabelada e olhos sem brilho. Limpei minha boca e me sentei no chão.  Me levantei com dificuldade, minhas pernas não me obedeciam mais, estava magra, sem forças.

      Segui em direção ao grande espelho que havia no meu quarto e me olhei, tendo a visão completa do meu corpo. Magra e esquelética, até onde eu tinha ido? Me sentei na cama já em lágrimas, não me importava com mais nada. 

       Só queria acabar com isso logo. Fui até a comoda e abri a pequena gaveta, dentro estava a minha fiel companheira. 


  Minha lâmina.


  (...)



      As risadas me atordoavam, não se pode mais andar nos corredores em paz. Tentei ignorar e andar o mais rápido possivel até a sala. Quando finalmente consigo entrar e me sentar, suspiro alto. Pego meu livro na bolsa e começo a ler. Romeu e Julieta, tão romantico, tão lindo, tão trágico. Alguns minutos depois a sala se enche de pessoas e, como sempre, ninguém se senta perto de mim. 


           (...)


      Chego em "casa" e não encontro Cristina, melhor assim. Subo até meu quarto e me sento na cama, estou cansada. Da escola. Das pessoas. Da minha "mãe". 

         Da minha vida.

      Me estiquei até a comoda e peguei a lâmina, que eu havia deixado em cima de tudo. Preciono contra meu puldo várias veses, deixando cortes profundos. O sangue logo se espalha, pingando no chão e espirando em minha blusa. Me sentia tão bem, que nem sentia mais a dor. Estava leve como uma pluma, flutuando... Até que tudo começa girar, eu tento me levantar e acabo indo de encontro ao chão.

   
      Um grito escapa da minha garganta quando minhas pernas atingem o chão, com um som de algo quebrando. Grito mais uma vez sentindo a dor se espalhar pelo meu corpo. Minhas bochechas estavam úmidas com lágrimas, e minha gargatanta estava doendo, com os gritos de socorro.

  
      Como sei que ninguém apareceria tento me levantar, sem sucesso. Minha oerna lateja e eu sinto outra pontada por ela. Grito outra vez quando me apoio pela mão, acbo desabando outra vez.


      Deitada, dolorida, sozinha, destruída. Eu sabia que ninguém viria, já havia me concientizado com isso, até que ouço passos na escada. Passos apressados.


       Minha porta abre subitamente e alguém entra, um garoto, consigo ver.Ele se aproxima e me pega no colo.


       - Vai ficar tudo bem...- ele sussurra e eu apago.


     (...)


      Abri os olhos me acostumando com a claridade forte. Olhei para o lado e alguém se encontrava no meio do caminho, entre a porta e minha cama.


       - Senhorita S/N Greison, que bom que acordou- o médico, percebo pelo jeito que fala e pela roupa, sorri para mim


      - O que aconteceu?- pergunto tentando me levantar


      - Sem muitos esforços senhorita- ele me repreende- Respondendo sua pergunta, você está com Anemia Profunda ou Leucemia, se preferir. Sua alimentação irregular deve ter causado isso, está muito magra para a sua faixa etária, está ciente disto?


       - L-leucemia? Como?


       - Bem, você estará em observação e não poderá sair até estar estável. Acompanharemos seu tratamento de longe após isto.- ele se afasta e vai até a porta- Tenha uma boa noite.


       Me virei para o lado da janela com dificuldade. Fiquei observando o céu com lágrimas rolando, até adormecer.


            * Meses Depois * 


       - Austin! Me solta!- gritei enquanto Austin me girava no ar


       Austin, meu vizinho, foi o único que me apoiou com a minha doença. Minha madrasta, Cristina, deixou dinheiro suficiente para meu tratamento e se mandou. Ele foi quem ficou responsável pelo dinheiro, por ter 19, também foi ele que me ajudou com as coisas, ele quem cuidou de mim, ele quem estava lá quando eu precisei. Ele foi meu anjo.


   
       - Ok S/N, você venceu!- resmungou me colocando no chão, eu ri- Ta rindo de que?


       - Nada- respondi ainda rindo, ele me pegou pela cintura, aproximando nossos corpos, eu parei de rir e ele sorriu


       - Por que não ri agora?- perguntou ainda sorrindo, me apertando mais nossos corpos


       - Austin...- sussurrei e ele acabou com o espaço entre nó, selando nossos lábios. 


        Nossas línguas travavam uma batalha dentro de nossas bocas, movimentos leves e precisos. Intensifiquei o beijo puxando-o para mais perto. Rompemos o beijo por falta de ar, ofegantes.


       - Uau- exclamei sorrindo, ele retribuiu o sorriso e ficamos nos encarando por algum tempo.



      De repente tudo começou a girar, me apoiei em Austin, que m olhou preocupado.


       - S/N?- a voz dele parecia distante- Você está bem?


       Não consegui responder, apenas apaguei.


    (...)


      - Ela vai ficar bem?- uma voz distante pergunta, não sei distinguir quem, mas a voz é familiar


       - Não sabemos Senhor Mahone, ela teve uma grave recaída, pode não sobreviver- outra voz, um pouco mais próxima fala.


      Aos poucos vou recobrando minha consciência, abro meus olhos devagar e encontro Austin sentado ao meu lado.


       - O-oque houve?- minha voz sai baixa, mas como só havia nós dois no quarto ele ouviu


       - Você teve uma recaída forte, está se espalhando outra vez...- ele disse com lágrimas nos olhos- Não quero que vá....


       - Eu não vou te deixar...- digo com lágrimas nos olhos também, sinto pontadas fortes em todo corpo e o aparelho ao meu lado indica meus batimentos acelerados.


         - Narrador Narrando -


        Os dois sabiam que estava chegando a hora dela partir. Ele, tanto quanto ela, não queriam se separar. Queriam ficar juntos, mesmo que por pouco tempo.


        I still remember the look on your face
 Lit through the darkness at 1:58
                 The words you whispered for just us to know
                          You told me you loved me, so why did you go...     
   Away, away


        - Austin... Está doendo...- ela resmunga


        - Eu prometo, isso vai passar.- ele afirma sorrindo.


    I do recall now, the smell of the rain
            Fresh on the pavement, I ran off the plane
     That July ninth, the beat of your heart
    It jumps through your shirt
    I can still feel your arms



       As lágrimas dos dois se misturam quando ele se inclina por cima dela e lhe dá um selinho demorado e intenso. 


   I never thought we'd have a last kiss
   I never imagined we'd end like this
   Your name, forever the name on my lips


      Ela fecha os olhos, ele lhe dá outro selinho, ela sorri entre as lágrimas e o aparelho apita. O monitor que marcava seus batimentos, agora estava com um riso, indicando seu coração parado. 


      Ela se foi.

  
      Ele ficou.


      - Eu sempre vou te amar S/N.


    I never thought we'd have a last kiss
    I never imagined we'd end like this
    Your name, forever the name on my lips

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

HEEY!!

Voltei para arrasar corações e causar lágrimas com um Imagine simples :) 

Por mais algum tempo eu vou ficar fora... Eu só postei esse imagine pra não ficar aquele peso de Nothing Feels Like You na próxima fic e tals. Só um lembrete :
A próxima fic vai ser pesada, então quem não gosta de criminal não critique, não xingue e não leia se não gosta. Eu não me importo, faço as fics pra quem quer e não pra todas ;)

Amo vocês!! <3