21 de abr de 2014

Everything Abaout You Capitulo 11 - The Party (Parte II)



Austin PVO's

Fazia bons minutos que havíamos chegado a festa de Brad, um dos jogadores do time de basquete da escola, um cara bem popular tenho que dizer, mas não mais que eu afinal eu sou o Austin Mahone capitão do time.
Mas isso tudo não era importante, o que era importante naquele momento era Anna Marie, ela estava sentada no sofá desde que chegamos, ao lado dela havia um casal aos beijos, o que parecia a incomodar um pouco, mas fingia não notar os dois ali aos beijos. Eu apenas a observava com uma vontade imensa de ir até ela, mas controlava-me por que tinha certeza se eu chegasse perto dela a mesma sairia, eu não sabia exatamente o por que de tando ódio, o que sabia era que Anna Marie não gostava de mim, de certo modo aquilo me incomodava, afinal eu tinha todas as garota aos meus pés e ela não, aquilo era terrivelmente frustante.
- você podia fingir pelo menos. - ouvi a voz de Alex ao meu lado
- do que está falando? - perguntei confuso, mas sem tirar os olhos de Anne.
- você está encarando ela a mais de cinco minutos, isso é constrangedor ate para mim que não sou o alvo. - comentou ele, fazendo-me parar de olhar Anne.
- não estava olhando Anne. - disse tentando sair daquele assunto.
- a quem quer enganar? A si mesmo? Você estava sim olhando ela e tenho que dizer, você parecia um idiota apaixonado. - comentou Alex soltando alguns risos.
- cala a boca idiota, eu não estava olhando ela e não estou apaixonado. - disse bufando.
- se você diz. - disse ele dando de ombros, eu revirei os olhos e sai de perto dele e dos caras eu precisava pensar, afinal eu realmente estava apaixonado?

Anne PVO's

Sei que eu estava numa festa, mas eu realmente não conseguia me divertir, eu não conhecia quase ninguém ali, tirando Austin, os garotos e Beck, mas esses não contam por que logo que chegamos fingiram que não me conheciam e se espalharam pela festa e eu? Bom fiquei como uma idiota perambulando por ai até sentar em um sofá e servir de castiçal a um casal nada legal, que sempre me empurrava durante seu beijo, o que me irritava um pouco, será que esses dois não têm desconfiômetro? Não notaram que estão me incomodando? É  acho que sou invisível.

Cansada daquilo, levantei-me e segui em direção a saída daquela casa, eu estava decidida a ir embora e ninguém me impediria. Já no lado de fora na calçada, olhei para os dois lado e percebi que ali era um lugar que não se passava linha de ônibus e muito menos um táxi, legal minha tentativa de ir embora havia ido por água abaixo. Bufei e cruzei os braços, eu queria ir embora, mas não pediria ajuda a Austin, pois sabia que ele era o único que poderia me tirar dali, mas nem que minha vida dependesse disso eu pediria para Mahone me levar em casa, eu voltaria a pé, a noite estava ótima para uma caminhada.

Mais minha caminhada não durou muito, fui interrompida por um rapaz aparentava ter uns 18 anos, era moreno com olhos claros e os mesmos estavam vermelhos, nos lábios tinha um sorriso perverso que me colocou medo.
- perdeu-se gata? - perguntou ele com a voz de quem estava alcoolizado, senti meu coração acelerar assim que ele caminhou cambaleante para perto de mim. Eu tentava ter alguma reação, mas não conseguia, meus músculos haviam travado, fechei os olhos assim que senti as mãos asquerosas daquele homem sobre meus ombros, ele puxou-me para perto dele e sussurrou com seu bafo de bebida.
- não feche os olhos meu amor, olhe para mim, eu sei que vai adorar isso tudo.
ao final disso ele desceu sua boca até meu pescoço e começou a distribuir beijos, pôs as mãos em minha cintura e me apertou, naquele momento eu notei que estava perdida, eu seria estuprada e eu não conseguia nem mexer um músculo, o nervosismo havia me travado, a unica coisa que consegui foi gritar pedindo para ele me soltar, o que não deu em nada.
- me solta. - explodi em um grito.
- calminha ai gatinha. - falou ele soltando seu cheiro de bebida em minha cara o que fez meu estomago embrulhar.

Senti meu corpo bater com algo firme, parecia feito de concreto, vi que se tratava de uma parede, naquele momento tive a atitude de tentar tirar aquele homem de cima de mim, ainda gritando eu o empurrava com toda a minha força, mas o rapaz parecia mal sair do lugar, então comecei a entrar em desespero, lagrimas escorreram por minha face, eu queria que aquilo não estivesse acontecendo, eu implorava pra Deus ter um pouco de piedade de mim, mas parecia que eu não era escutada, aquilo me desesperava a cada minuto, eu não queria ser violada daquela forma, mas parecia que a cada minuto aquilo parecia que realmente aconteceria. Senti uma das mãos do homem começar a levantar minha blusa, já aquela altura eu apenas chorava, de certo modo estava conformada com minha sina de sempre se dar mal, me entreguei ao choro, na tentativa de não ter lembranças daquilo depois, mas eu tinha certeza que me lembraria daquele momento para sempre.

Perdida em meus devaneios, mal havia percebido que o homem não estava mais sobre mim, abri meus olhos e vi o mesmo não chão e alguém sobre ele distribuindo socos e chutes, eu fiquei estática, eu só consegui chorar, minhas pernas estavam bambas e minhas mãos tremiam, mas podia sentir um alivio, eu não havia sido estuprada.
O meu salvador, continuava a distribuir golpes pelo meu quase estuprador, mas por um momento ele parou, respirou fundo e virou-se para mim e então puder ver o rosto do rapaz que me salvará, era...

Continua

Muahaha sou do mal, deixei vocês na curiosidade, mas não fiquem se tiver no minimo 5 comentários até as três da tarde eu posto outro que já to escrevendo, então alguém ai quer saber quem é o salvador da Anna Marie??
Ps: Me sigam no instagram? Sigo todos de volta :)

Continua com 5 comentários!!



4 de abr de 2014

NFLY 2°- capitulo 12 / Best B-Day, But...



 "Você aceita se casar comigo?" aquelas palavras vagavam minha cabeça fazendo eco. E eu estava sem nenhum tipo de reação olhando aqueles olhos verdes penetrantes me encarando sem intervalos. Eu já estava arfando e meus joelhos iriam ceder logo, me ajoelhei de frente pra ele que me olhava assustado e confuso.


   - Austin...- Sussurrei contra seus lábios- Carter... Mahone... Eu prometo amar-te e respeitar-te por todos os dias de nossa vida- terminei de falar com lágrimas nos olhos, ele sorria abertamente.

  
   Estendi minha mão para que ele colocasse a aliança, logo em seguida eu colocquei a dele nele e nos beijamos. Mas não um beijo qualquer. Um beijo diferente, com paixão, sentimentos.

   Um beijo de amor verdadeiro.


   Separamos o beijo com vários selinhos e eu encarei aquele mar verde outra vez, nunca me cansaria disso. Dele. Sorrimos e nos levantamos, suspirei enquanto viamos o final do Pôr-do-Sol. Enquanto ele encarava a paisagem com um sorriso no rosto, eu o olhava. Captando todos os detalhes mínimos de seu rosto perfeito. 


   - Porque me olha tanto?- perguntou me encarrando com um sorriso debochado

   
   - Eu estou vendo os detalhes do meu marido, não pode?- perguntei entrelaçando minhas mãos em sua nuca, enquanto ele me pegava pela cintura.


   - Não pode...- sussurrou perto de meus lábios- Deve- e outro beijo de tirar o folego. Ele nunca vai perder o efeito sobre mim, que me faz submissa a ele, cortei o beijo lembrando que tínhamos uma festa para ir.


   - Sabe que dia é hoje?- perguntei passando a mão por seus cabelos


   - Hm... Por acaso é aniversário de uma pessoa muito especial, linda e maravilhosa?- perguntou pensativo


   - Convencido- falei dando-lhe um selinho- Mas agora é sério, pedido de casamento no seu aniversário?

  
   - Para ser o melhor de todos- deu de ombros e me pegando no colo logo em seguida


   - Austin! Me põe no chão!- pedi enquanto ele andava calmamente até o carro- AGORA!


   - Nossa, que fresca- Falou me colocando no chão, mas já estávamos do lado do carro


   - Chato- resmunguei entrando no carro, ele deu a volta falando alguma coisa que eu nem me preocupei em saber o que era. Queria evitar brigas e deixar ele curtir o aniversário. 

   Não é todo dia que se faz 21.


   (...)


   Chegamos no "apartamento" da Mari e estava tudo escuro. Parte da surpresa, que Alex insistiu em fazer. Pude ouvir a risada baixa do Austin ao acender a luz.


   - SURPRESA! FELIZ ANIVERSÁRIO AUSTIN!- todos gritaram aparecendo de onde estavam, Austin ria como uma criança ao meu lado, nem parecia estar fazendo 21.


   - Meus parabéns mano!- Alex foi o primeiro a se pronunciar vindo e bagunçando os cabelos de Austin, que resmungou um "obrigado" enquanto arrumava o cabelo de novo.


   - Austin! Meus parabéns!- Mari veio o abraçar e logo todos na sala fizeram o mesmo, até Jackson e as gêmeas pararam de brincar para dar um abraço nele.


   (...)


   Estávamos eu, Austin, Mari e Alex, em volta da mesinha de centro abrindo os presentes. Rindo das palhaçadas de Alex e Austin e achando algo para zoar o aniversariante a cada presente.


   - Aus, babe, nem me convidou! Eu perdi a maior parte da festa amor!



Oi Gente!

Primeiro : Quem será?
Segundo : Feliz 18!! :v

Ta, voltando a fic, eu ia postar de tarde MAS... Natação :| espero mesmo que tenham gostado, eu sei que ta MUITO parada essa fic! Mas, são os últimos capítulos e vai acontecer muita coisa ainda tipo : Casamento, mistérios, Jackson e.... LÍVIA IS BACK! Muahahahaha
Sou má u-u, e para a felicidade de vocês eu pensei e pra tentar encaixar minhas VÁRIAS idéias passadas pra Nothing Feels Like You... Eu pensei em continuar ainda... Tipo mais uns 10 caps sabe? :) Tem gente que vai ficar feliz, eu sei u-u e também eu AMO escrever essa fic! Não só pela Clara e pelo Austin, mas pela história que fala de um amor verdadeiro (filosofando u-u heueheu) Maaas, chega de falar né? Espero que tenham gostado do capitulo e o próximo vem não muito logo ok? Não me matem! Época de provas se aproxima e a mãe ta me forçando a estudar 2 semanas antes -.- então provavelmente capitulo 13 só mês que vem, espero que entendem :)

Bjks :*